Cobalto

Cobalto (do alemão kobold que signifca espirito) é um elemento químico presente no mineral esmaltita (CoAs2), que é utilizado como pigmento para a tonalidade azul, há vários séculos. Deste mineral (esmaltita), o cobalto foi separado na forma metálica, apenas em 1735, por Georg Brandt. Há registros da utilização de minérios de cobalto datados em quase cinco mil anos, como evidenciado em artefatos de cerâmica egípcia e vidros pérsios (iranianos) (Gre­enwood e Earnshaw, 1997).  Outras evidências indicam que compostos contendo cobalto também foram utilizados, na China, como corante de vidros e porcelanas, durante as dinastias Tang (618-907) e Ming (1368-1644). O Co é o 30º elemento mais abundante da crosta terrestre, mas só é encontrado na natureza combinado a outros elementos, na forma de mais de 200 minérios. No entanto, apenas alguns são de interesse comercial (esmaltita – CoAs2, cobaltita – CoAsS, linneíta – Co3S4 e eritrita – Co3(AsO4)2·8H2O). Esses minérios, muitas vezes estão associados a minérios de outros elementos, tais como níquel, cobre e chumbo.

A produção mundial de cobalto metálico (cerca de 95% associada à mineração de níquel), em 2008, foi de 71800 t, originando de países como Congo (41%), Canadá (11%), Zambia (9%), Rússia (8%), China (8%), Austrália (8%), Brasil (2%) e outros (13%). No Brasil, durante o ano de 2008, foram extraídos mais de 2600 t de minérios de cobalto, no entanto, a produção de cobalto metálico não superou 1250 t, baseando-se na mineração de níquel. O Estado de Goiás foi o responsável por 97% da produção brasileira. Já os 3% restantes é obtido em Minas Gerais.

Fonte: quiprocura