Hidrogênio, o elemento mais comum no universo

A questão do hidrogênio ser o elemento mais comum no universo pode ser explicada pela teoria do Big Bang. Segundo a teoria quando ocorreu o Big Bang ocorreu a formação dos blocos que construíram o universo. Por possuir apenas um próton e um elétron, além de ser  o único elemento sem um nêutron, o hidrogênio é o elemento mais simples do universo. Essa característica explica  o fato do hidrogênio ser o mais abundante. Nas estrelas, os átomos de hidrogênio se fundem para criar o hélio – o segundo elemento mais comum no universo. O hélio tem dois prótons, dois nêutrons e dois elétrons. Juntos, o hélio e o hidrogênio compõem 99,9% da matéria conhecida no universo. Mesmo assim, ainda há cerca de 10 vezes mais hidrogênio do que o hélio no universo. O terceiro elemento mais comum é o oxigênio, que é  cerca de 1.000 vezes menos abundante que o hidrogênio. De forma geral, quanto maior o número atômico, menos abundante é o elemento no universo. Por outro lado, a  composição de elementos da Terra  é diferente do universo inteiro. Por exemplo, o oxigênio é o elemento mais comum em peso na crosta terrestre, seguido por silício, alumínio e ferro. No corpo humano, o elemento mais comum em peso é o oxigênio, seguido pelo carbono e hidrogênio. Ao contrário do universo, o hidrogênio exerce  vários papéis importantes no corpo humano. As ligações de hidrogênio ajudam a dar ao DNA a sua assinatura, e isso ajuda o estômago e outros órgãos a manter o pH correto. Além disso, o hidrogênio permite que o gelo flutue na água (H20) porque as ligações de hidrogênio afastam as moléculas de água congeladas, tornando-as menos densas . O hidrogênio também pode ser perigoso como o acidente que levou a catástrofe do balão de Hindenburg,  matando 36 pessoas em 1937. Não pode ser esquecida a bomba de hidrogênio, um artefato de guerra  incrivelmente destrutiva.