As nanopartículas de óxidos de ferro magnéticos na terapia do câncer

A nanotecnologia é uma tecnologia associada à manipulação da matéria em escala nanométrica. Nessa escala, a matéria apresenta característica bastante peculiar, podendo ser tolerante a variações de temperatura, reatividade química, condutividade elétrica, etc. Particularidades que explicam o grande interesse industrial por esses nanomateriais. Eles são
amplamente empregados em cosméticos, tintas, revestimentos, tecidos, catalisadores etc. Revolucionariamente, os
nanomateriais estão possibilitando o tratamento de diversas doenças. Por ter alto potencial biomédico, as NM vem sendo introduzidas como nanomaterial em várias aplicações médicas, particularmente no tratamento do câncer). As nanopartícuas magnéticas (NM) são formadas pela magnetita e maghemita, dois óxidos de ferro com ampla gama

de aplicações tecnológicas. Esses óxidos são aplicados em baterias de lítio, supercapacitores,

Figura 1 -Esquema de tratamento do câncer com NM.

em catálises, entre outros usosA eficiência do tratamento com NM está baseada na biocompatibilidade dos fluídos magnéticos ao tecido tumoral. As NM apresentam uma extraordinária biocompatibilidade biológica, além de suas propriedades magnéticas e versatilidade de engenharia. Por causa disso, é possível a acumulação e retenção seletiva de NM em células cancerosas. É interessante citar que o superparamagnetismo é uma das características importantes na aplicação das NM. Uma vez  dentro das células, as NM são extensivamente testadas para o tratamento do câncer por hipertemia, ou mesmo por detecção. No caso específico do câncer, a Figura 1 apresenta uso de NM para o tratamento dessa doença.

Fonte: Scientia Amazonia

Leia também

Magnetita um óxido de ferro usado no tratamento do câncer

A magnetita um óxido de ferro que orienta

A poluição e magnetita =doença de Alzheimer