É possível a água perder sua polarizabilidade

A água é um líquido fundamental para a existência da vida, entre  suas características, está o seu comportamento diante de um campo elétrico. Um grupo de pesquisadores, incluindo o Prêmio Nobel de Física André Geim e a Dra. Laura Fumagalli, do Instituto Nacional grafeno na Universidade de Manchester, no Reino Unido, juntamente com colegas da Universidade de Barcelona e o Instituto Nacional de Ciência dos Materiais do Japão, fizeram uma descoberta interessante. Os cientistas em questão, detectaram que quando a água está em camadas finas de algumas moléculas de espessura, seu comportamento é totalmente diferente da água normal que é conhecida. Com o uso de novas técnicas, os pesquisadores tiveram a oportunidade de fazer uma medição das propriedades dielétricas da água, com apenas algumas moléculas de espessura. Com essa medida, ele demonstraram que essa camada de água de espessura atômica não tem resposta diante de um campo elétrico. Por algum tempo, muitas pesquisas tentaram conhecer o comportamento da água em escala microscópica na presença de superfícies sólidas, outras substâncias e macromoléculas, mas não tiveram sucesso nessa tarefa. Segundo a Dra. Laura Fumagalli, todas as superfícies são cobertas por uma fina camada de água, que tem poucos átomos de espessura, não é possível vê-la, mas está lá. Quanto ao comportamento da água superficial, supunha-se que esta era diferente da água normal, cuja constante dielétrica é anormalmente alta. No entanto, presumiu-se que a água em camadas finas poderia ter uma resposta reduzida, mas esse valor ainda não havia sido determinado. O que eles descobriram foi uma resposta elétrica enfraquecida da água confinada a esses nanocanais, isto é, que a água estava literalmente morta e totalmente incapaz de detectar qualquer campo elétrico externo. De acordo com esse resultado, é evidente que, quando há grandes volumes de água, seu comportamento é diferente daquele que ocorre quando a camada de água é muito fina.

Fonte: Iquimicos