Os efeitos do carboidrato para a longevidade

Dietas com baixo teor de carboidratos têm sido associadas à redução da longevidade – exceto quando as pessoas deixam de consumir a carne por alternativas à base de plantas. Uma pesquisa com 15.400 pessoas nos EUA mostrou uma relação entre a mortalidade e a ingestão de carboidratos. O estudo demonstra que pessoas cuja longevidade é alta tendem a ter como base energética de 50 a 55% de carboidratos. Nesse caso pessoas com idade de 50 anos apresentam expectativas de vida de pelos menos de mais 33 anos. A pesquisadora Sara Seidelmann do Brigham and Women’s Hospital (Boston) e seus colegas se perguntaram se os tipos de gordura e proteína que as pessoas comem em dietas baixas em carboidratos poderiam contribuir para reduzir a longevidade. Ao analisar os resultados , eles descobriram que, quando as pessoas substituíam os carboidratos por carne em geral a mortalidade aumentava. Por outro lado,  ao substituir a proteína e gordura animais por vegetais, como leguminosas, legumes e nozes a expectativa de vida aumentava. A equipe de pesquisadores acredita que o aumento da mortalidade de uma dieta rica em carboidratos e carne alta se deve ao menor consumo de frutas e vegetais e aos efeitos nocivos das proteínas e gorduras animais nos sistemas de inflamação e estresse oxidativo do corpo. Logo,  se você for escolher uma dieta muito baixa em carboidratos como uma maneira de perder peso ou como um padrão alimentar, é muito importante que você esteja atento para substituir o carboidrato por mais alimentos à base de plantas. Quanto àqueles que consomem muitos carboidratos, suas taxas de mortalidade podem ser maiores devido a problemas metabólicos associados à ingestão de grandes quantidades de carboidratos refinados, como arroz branco e pão.

FonteLancet Public Health

Leia também

Será que todo carboidrato engorda?