A grama especial do deserto da Austrália

As gramíneas Spinifex crescem na Austrália por mais de 15 milhões de anos. Essas gramíneas cobrem quase um terço do continente, principalmente em áreas quentes e secas com solos pobres – e têm sido usados ​​para uma variedade de propósitos pelos povos indígenas há milhares de anos:  para fazer ferramentas de hafting, como adesivo, além de diversos usos alimentícios, medicinais e arquitetônicos. O interessante é que essas gramíneas tiveram que se adaptar a mudanças climáticas, solos extremamente pobres, alta temperatura e baixa pluviosidade, o que levou à sua estrutura e composição incomuns. A forma como as gramíneas do deserto de spinifex evoluíram para se adaptar ao ambiente quente e seco da Austrália faz delas uma fonte ideal de nanofibras de alta qualidade. Os pacotes de nanofibras de celulose em spinifex são organizados em uma rede flexível composta por um material macio chamado hemicelulose, em oposição aos componentes fortes e fortemente cimentados da madeira. Essa estrutura permite que a planta retenha água durante os períodos de seca. O alto teor de hemicelulose em spinifex significa que a estrutura da grama é menos sólida e facilita o isolamento das nanofibras sem o uso de produtos químicos e energia mecânica.  A força do papelão diminui quando é reciclado, mas quando são adicionadas nanofibras spinifex observa-se um aumento considerável. Elas podem ser usada como filtro de água na remoção de íons metálicos; no reforço de cartões reciclados; aumentam a força de  elásticos à base de borracha, como luvas e preservativos; podem ser usadas na construção de materiais da construção civil , entre outras aplicações.

Fonte: News