A química das cores

É incrível a coleção de histórias sobre diferentes cores, a forma como elas foram feitas ao longo da história da humanidade. É interessante mencionar também como as pessoas usaram a química para para obter as mais variadas cores. No portal do Clube da Química começaremos um série de postagem abordando os mais variados temas mostrando como as cores ocorrem e como foram descobertas e usadas pelo homem.  

Começando com a cor vermelha, isso porque essa cor é a mais universalmente amada ao longo da história da humanidade. Sem sombras de dúvidas o vermelho é a cor mais estudada do espectro. Ela é considerada a cor com o impacto mais mensurável em nossas vidas. 

Um dos mais antigos pigmentos vermelhos é chamado hematita , e vem da forma mineral do óxido de ferro – essencialmente ferrugem. É muito comum na crosta terrestre e encontrado em todo o mundo. A hematita é considerada com um dos dois marcadores consistentes da evolução humana eram a fabricação de ferramentas e o uso de hematita vermelha. Mas a hematita acabou ficando fora de moda quando os humanos buscaram versões mais brilhantes da cor vermelha.

Cochonilha é outro pigmento de vermelho que é derivado de um inseto de escala do mesmo nome. É tipicamente encontrado na América do Sul e Central, por isso foi amplamente utilizado na cultura asteca e inca. Infelizmente, para obter um quilo de corante de cochonilha em bruto é necessário cerca de 70.000. Este pigmento é usado ainda hoje em alimentos e cosméticos sob o rótulo E120, o que significa que há uma boa chance de que seu iogurte de morango tenha sido feito com esses insetos.

Leia também

Os óxidos de ferro e as pinturas antigas

Fonte: 99% Invisible