O pigmento verde que poderia ter matado Napoleão

Embora o verde esteja em toda parte na natureza, fazer um corante verde foi historicamente muito difícil. Mas em 1775, um cientista sueco chamado Wilhelm Scheele criou um pigmento sintético que ele chamou de verde de Scheele. Havia um grande mercado para o pigmento e, por ser relativamente barato, era muito usado em tecidos, papéis de parede, flores artificiais, etc.

Vestido contendo arsenito de cobre – mais conhecido como o pigmento da morte

O pigmento verde foi obtido de um arsenito de cobre composto que é incrivelmente tóxico – e que um pedaço do papel de parede verde de Scheele que tinha apenas alguns centímetros de comprimento tinha arsênico suficiente para matar dois adultos. Há rumores de que a vítima mais famosa do verde de Scheele poderia ter sido Napoleão. O líder francês tinha muito arsênico em seu sistema quando morreu. No entanto, após a sua morte, amostras de cabelo mostraram que ele tinha níveis elevados de arsênico no sangue ao longo de sua vida. Enquanto seu papel de parede verde provavelmente não o matou, não poderia ter sido bom para sua saúde geral. 

Leia também

A química das cores
A cor roxa

Fonte: 99% Invisible