Quem é Nagaoka Hantaro?

Em 1904, um cientista japonês Nagaoka Hantaro (1865 – 1950) desenvolveu um modelo para o átomo baseado no planeta Saturno. Esse modelo ficou conhecido como saturniano. Ele era baseado na estabilidade dos anéis de Saturno causada pela grande massa do planeta. Nagaoka propôs um modelo para o átomo formado por um núcleo positivo massivo com elétrons girando em seu entorno. Da mesma que o modelo atômico proposto por Rutherford, todavia o modelo de Nagaoka falhava alguns experimentos. Em suma o modelo de Nagaoka encontrava um percalço com base na estabilidade de todo o sistema proposto, fazendo com que o
tamanho e a energia da carga central fossem muito mais fortes que as cargas opostas que orbitavam ao redor do núcleo. Outro problema apresentado por este modelo era o da velocidade angular dos corpúsculos, que deveria ser muito alta, com valores que de acordo com a física clássica, eram difíceis de serem obtidos. Este modelo foi fortemente combatido por Schott, que enviou cartas a Nagaoka, apresentando as fragilidades da sua proposta, estabelecendo assim um debate teórico entre os dois pesquisadores. Schott discordava dos cálculos de Nagaoka e também dos valores de carga central e de velocidade angular dos corpúsculos ao redor no anel, travando um longo debate sobre a validade do modelo saturniano. Os percalços encontrados fez com que Nagaoka abandonasse o seu modelo em 1908.

Dentre os princípios do modelo de Nagaoka a existência de um núcleo atômico com carga positiva foi considerado por Rutherford. Conta-se que Rutherford, surpreso com o experimento de Nagaoka teria dito: “É COMO SE UMA GRANADA TIVESSE ATINGIDO UMA FOLHA DE PAPEL E VOLTADO CONTRA QUEM ATIROU!”. Em carta enviada a Neils Bohr,
Nagaoka demonstrou sua felicidade e satisfação ao reparar a grande similaridade entre a sua proposta e do modelo atômico de camadas de Bohr a partir da proposta de Rutherford.

Leia também

A retração da reclamação de transmutação de Rutherford, da Fundação Nobel

Fonte: A graça da Química

Melzer, E. E. M. e Aires, J. A. A História do desenvolvimento da teoria
atômica: um percurso de Dalton a Bohr. Amazonia – Revista de Educação em Ciências e Matemática