NOx atmosférico removido com grafeno

Um grupo internacional de cientistas, inclusive da Universidade de Cambridge , desenvolveu um composto de grafeno que pode “comer” poluentes atmosféricos comuns e pode ser usado como revestimento em pavimentos ou edifícios.

Este trabalho demonstrou uma aplicação clara de grafeno para a degradação de poluentes ambientais. Isso pode não apenas trazer benefícios comerciais, mas, mais importante, um ambiente mais limpo e saudável.

Trabalhando em colaboração com o Italcementi Heidelberg Cement Group e outros parceiros, os cientistas de Cambridge desenvolveram um fotocatalisador que degrada até 70% mais óxidos de nitrogênio atmosférico (NOx) do que as nanopartículas de titânia padrão em testes com poluentes reais.

A poluição atmosférica é um problema crescente, principalmente nas áreas urbanas e nos países em desenvolvimento. Segundo a Organização Mundial da Saúde, uma em cada nove mortes no mundo pode ser atribuída a doenças causadas pela poluição do ar. Poluentes orgânicos, como óxidos de nitrogênio e compostos voláteis, são a principal causa disso e são emitidos principalmente por escapamentos de veículos e pela indústria.

Enquanto os pesquisadores estão desenvolvendo novas tecnologias e fontes de energia que reduzirão drasticamente o volume de poluentes emitidos na atmosfera, eles também estão em busca de novas maneiras de remover mais poluentes da atmosfera. Fotocatalisadores como a titânia são uma maneira de fazer isso. Quando a titânia é exposta à luz solar, degrada os óxidos de nitrogênio e os compostos orgânicos voláteis presentes na superfície, oxidando-os em produtos inertes ou inofensivos.

Pesquisadores do Cambridge Graphene Centre prepararam e testaram o compósito, confirmando sua capacidade de degradar fotocataliticamente moléculas poluentes, depois os pesquisadores da Italcementi aplicaram o revestimento no concreto para investigar seu potencial de remediação ambiental.

Ao realizar a esfoliação em fase líquida de grafite – um processo que cria grafeno – na presença de nanopartículas de titânia, usando apenas água e pressão atmosférica, os cientistas criaram o novo nanocompósito de grafeno-titânia.

Eles descobriram que ele remove passivamente poluentes do ar quando revestido na superfície dos materiais. Se aplicados ao concreto na rua ou nas paredes dos edifícios, os produtos de fotodegradação inofensivos podem ser lavados pela chuva ou pelo vento ou limpos manualmente.

Fonte:

EngineerLive