Qual a responsabilidade da Química

Os primeiros aprendizados que recebemos de Química nos parece uma coisa desconexa, mas que ao longo do tempo vai se tornando algo comum. Nesse ponto começamos a reconhecer a Química nos cercando e os conceitos de moléculas, átomos, pH entre tantos outros nos parece óbvio. Já conseguimos imaginar moléculas, explicar desastres ao ambiente, como aquecimento global, entender estruturas químicas de novas substâncias, bem como, imaginar um mundo com novas moléculas. Continuar a falar de química dessa forma é esquecer a responsabilidade que acompanha os químicos. Devemos ter em mente os preceitos éticos para nos guiar a produzir um mundo melhor sem que a Química não seja usada como uma ferramenta do “mal”. Dominar a química deverá representar também um respeito à sociedade e a natureza. Nesse ponto, aprender somente os conceitos e como aplicá-los, é no mínimo temeroso; uma vez que, o uso desse conhecimento depende de uma decisão. Infelizmente, a história humana está cheia de maus exemplos do uso do conhecimento química, frutos de decisões erradas. Um dos mais trágicos foi o holocausto, e mais recentemente no Brasil está o acidente de Mariana. A Química deve ser inserida na Sociedade como uma ciência de responsabilidade e que favoreça a formação de um cidadão do “bem”. O quimiquês não deve ser a única linguagem da Químico, a responsabilidade também deve ser objeto de aprendizagem e prática na humanidade pelos Químicos.

Leia também

O Químiquês – a linguagem do químico