Os remédios e o seus descarte no ambiente

É inquestionável que a indústria farmacêutica tem contribuído para aumentar a expectativa de vida da população do planeta. Em contrapartida, existe o uso descontrolado dos medicamentos, motivo de grande preocupação não só pelo efeitos adversos, como o aparecimento de superbactérias, mas também de suas sobras. Fármacos de diversas classes terapêuticas, como antibióticos, hormônios, anti-inflamatórios, entre inúmeras outras classes de medicamentos vem sendo, cada vez mais, detectados em esgoto domésticos, águas superficiais e subterrâneas. Alguns são encontrados em parte por bilhão, outros em parte por milhão em várias partes do mundo.  Esses medicamentos que são encontrados no ambiente podem ser oriundos de duas fontes: i) excretados do organismo como metabólitos, hidrolisados ou inalterados e ii) por descarte inadequado.  Infelizmente, o consumo descontrolado de medicamento vem resultando em grande sobras de medicamentos tornando a discussão da destinação final desses resíduos um tema bastante relevante para a saúde pública. Da mesma forma que é necessário um política ambiental rígida para a reciclagem, uma política pública que levem a conta o ciclo de vida dos medicamentos antes de sua contaminação deve ser implantada urgentemente.