O ensino brasileiro precisa chegar no século 21

Para os professores clássicos, falar em computador na sala de aula é uma coisa terrível. Fala então que o uso da internet deve fazer parte da disciplina do professor, muitos entram em parafuso. E quando a novidade é uma plataforma de ensino, aí a coisa pegou. E naquelas reuniões pedagógicas, mencionar o uso da rede como ferramenta de trabalho; a menção é sempre contra as redes sociais, etc. Enquanto isso, empresas como Google, Samsung, Apple colocam seus investimentos em plataformas de ensino, oferecendo-as gratuitamente, percebe-se o distanciamento de professores brasileiros do século 21.

Leia também

Aplicando o contexto no ensino de Química

O distanciamento do ensino com a sociedade

O distanciamento do presente é sempre o mesmo, a falta de valorização salarial, turmas grandes, falta de oferta de cursos, etc. Realmente, para mudar o ensino brasileiro são necessárias ações para aumentar a capacitação, valorização e redução da relação professor/aluno.

O Brasil necessita de uma revolução na qual todos esses itens devem ser levados em conta. Uma das alternativas é valorizar o professor incentivando-o a fazer cursos de mestrados e doutorados com temas específicos de sua região. Evidentemente, além da valorização salarial para níveis justos dever ocorrer uma relação professor/aluno mais adequada. É necessário que a capacitação do professor deva ser voltada ao um ensino moderno e sincronizada com as novas tecnologias. O professor brasileiro precisa aprender como empoderar o aluno no uso das informações. Agora, aportar recursos pura e simplesmente como é feito atualmente não irá revolucionar o ensino brasileiro.

É necessário que sejam estabelecidas metas e ações para colocar o ensino brasileiro verdadeiramente no século 21. É evidente quando temos um ensino constituído de doutores, quem ganha é a escola. Naturalmente, os doutores pensam em projetos de pesquisas direcionados as suas observações e necessidades locais. O Brasil não precisa de doutores que somente publicam seus resultados, mas de doutores que usam suas expertises para mudar o ensino e consequentemente coloque nosso país na vanguarda do conhecimento. Isso começa na educação fundamental com profissionais valorizados e capazes.