Ícone do siteClube da Química

Titânio: um metal para substituir o corpo humano

Liga de titânio no osso

Titânio substitui o corpo humano, como assim? Então, titânio recebe o nome dos Titãs da antiga mitologia grega.  Com o símbolo químico Ti e um número atômico de 22. O titânio é um metal de cor prata valorizado por sua baixa densidade; alta resistência e resistência à corrosão. Então, as aplicações para este metal cresceram exponencialmente:

Todavia, os materiais de titânio são caros e problemáticos quando se trata de tecnologias tradicionais de processamento. Por exemplo, seu alto ponto de fusão (1.670 ℃, muito maior que as ligas de aço) é um desafio. Considera-se o titânio  um metal mais biocompatível; não prejudicial ou tóxico ao tecido vivo. Além disso, essa capacidade de suportar o ambiente corporal severo é resultado do filme protetor de óxido que se forma naturalmente na presença de oxigênio.

Partes do corpo onde podemos encontrar o titânio. (a) prótese craniana; (b) guia cirúrgico; (c) prótese de escápula; (d) prótese de joelho; (e) implantes dentários; (f) gaiola de fusão intersomática; (g) copo acetabular; e (h) prótese de quadril. Fonte: Materials Today Bio

Leia também

O efeito do dióxido de titânio nos alimentos

Dióxido de titânio e suas aplicações

Porque você proteger seu PET da terrível naftalina

7 benefícios do limoneno

A controvérsia do ciclamato de sódio

Como é a composição química de alguns produtos pessoais

 

Propriedades das ligas de titânio usadas na medicina

Em sua forma pura, o titânio apresenta, portanto:

Em princípio, as ligas entram em jogo quando a relação força/peso é vital para o sucesso do implante.

O mais interessante é que o titânio se conecta muito bem aos tecidos e ossos humanos. Portanto, titânio substitui o corpo humano

As ligas mais comuns usadas em implantes médicos e dentários são Titânio 6AL4V/Titânio 6Al4V ELI – ligas alfa-beta contendo aproximadamente 90% de titânio; 6% de alumínio e 6% de vanádio. Portanto, eles facilitam um alto nível de resistência à fratura e atuam em harmonia com o corpo para promover a osseointegração.

Fonte: The Conversation

Sair da versão mobile