Alternativas sustentáveis de couro

Há muitos anos o uso de couro se tornou um problema de ordem ambiental além de movimentos de proteção animal. Para reduzir esses problemas a indústria procurou e ainda procura por materiais alternativos. Atualmente, a indústria usa muitos materiais a base de borracha sintética. Isso não impediu que novos materiais fossem introduzidos ou mesmo testados. Com a economia circular cada vez mais fortalecida a busca por materiais mais sustentáveis trouxe a proposta de um novo “couro sustentável”. Neste post iremos apresentar alguns couros sustentáveis desenvolvidos a partir de plantas.

Leia também

Upcycling para o modo sustentável

Upcycling: lâmpadas feitas de garrafas plásticas

A Química e a economia circular

Uma casa do sonho feita de lixo

Os Químicos precisam criar o comércio de moléculas

Couro de cacto

Uma startup mexicana do México conseguiu produzir um tecido semelhante ao couro a partir de cacto Nopal. O cacto Nopal é usado tanto em cosméticos mexicanos quanto na culinária mexicana. Ele precisa de pouca água e é um material muito sustentável devido à sua distribuição regional. Para a produção de couro vegano, a startup mexicana aplica as fibras Nopal ao algodão. A startup afirma que o substituto do couro é durável e respirável por até dez anos.

Couro de abacaxi

O couro de abacaxi foi inventado pela designer espanhola Carmen Hijosa: em sua empresa Ananas Anam. O tecido desenvolvido é feito de fibras das folhas de abacaxi. Na verdade, esse é um produto residual que surge do cultivo e, como substância, se torna uma fonte adicional de renda para os agricultores desta fruta. Dentre os clientes da empresa incluem marcas sustentáveis, como a Nae, que o tecido de abacaxi para fabricar sapatos, e grandes empresas de moda esportiva, como Puma.

Couro de maçã

O “bagaço” é o resíduo sólido que permanece após o suco de frutas e legumes ter sido espremido. O empresário italiano Alberto Volcan descobriu que se você revestir telas com bagaço seco e em pó, obtém um material semelhante ao couro: foi assim que o chamado couro de maçã foi criado. A marca sustentável de Berlim Luckynelly usa couro de maçã para suas malas de grife e a marca Armed Angels usa em suas coleções.

Couro café

A marca de calçados de Munique Nat-2 lançou tênis de borracha e “café de couro”. O material consiste em café reciclado, grãos de café e folhas de café. Segundo os fabricantes, o material foi patenteado na Alemanha, sendo os sapatos são fabricados na Itália. Segundo os clientes os tênis até cheiram a café e têm uma aparência de camurça.

Couro de cogumelo

O couro de cogumelo é fabricado por várias empresas em todo o mundo. Sob o nome “Muskin”. Dentre as empresas têm-se a Grado Zero Innovation e a alemã Zvnder. A Zvnder usa apenas uma esponja do cogumelo para fazer o seu couro. Os cogumelos são colhidos no local manualmente e, de acordo com a empresa, são processados completamente e sem o uso de produtos químicos. O material processado é usado para produzir o couro que usado para fazer carteiras no estúdio da Zvnder em Berlim.

Couro vinho

O rótulo Vegea produz, entre outras coisas, couro de vinho, é claro na Itália. A rigor, o material não é obtido do vinho, mas como o couro de maçã, a empresa usa os resíduos da colheita da uva para produzir o couro. O designer Gianpiero Tessitore o couro de vinho em seus móveis, justificando o uso deste material por ser um couro alternativos e não se limitar apenas a roupas e acessórios. Dentre os clientes da empresa incluem gigantes do mercado como H&M.

Fonte: Enorm