O DDT venceu o DFDT

O difluorodifeniltricloroetano (DFDT) é um composto químico. Sua composição é a mesma do inseticida DDT , exceto que dois átomos de cloro do DDT são substituídos por dois átomos de flúor.

Leia também

O que um milhão mostram sobre o autismo e o DDT

O DDT – um inseticida que contaminou a humanidade

As controvérsias do uso do DDT

                DFDT
                  DDT
 
Estrutura cristalina DFDT. Xiaolong Zhu
 
Estrutura de cristal DDTCrédito …Xiaolong Zhu

O DFDT foi desenvolvido pelos alemães para evitar pagar aos suíços o custo da licença do DDT. Outra possibilidade é que as substâncias necessárias para a síntese do DFDT na época eram  mais disponíveis na guerra na Alemanha. 

Apesar de ser mais letal que o DDT além de exigir doses ainda menores e talvez mais seguras, o DFDT não foi adotado pelas as  autoridades de saúde pública da época, mais precisamente durante a segunda grande guerra mundial. As autoridades aliadas consideraram as informações dos alemães fantasiosas, especialmente por causa do comportamento deplorável da Hoechst,  fabricante alemão que desenvolveu o inseticida, durante a guerra.

Para testar a eficiência do DFDT, a empresa química forçou os habitantes de países ocupados pela Alemanha a trabalhar em suas fábricas e testou droga em prisioneiros em seus campos de concentração. Oficiais militares de nações aliadas chegaram a alertar que os alemães usavam o DFDT, mas os métodos de teste usados influenciaram na comprovação de evidências no uso deste inseticida no combate de moscas domésticas”.

Não poderemos saber se o DFDT seria mais eficaz para erradicar a malária principal fracasso do DDT. Nem mesmo depois do elogio do ganhador do Prêmio Nobel  Paul Hermann Müller, que afirmou que o DFDT matava os mosquitos com maior Rapidez do que o DDT.

Todavia, em relação a eficiência do DFDT, os especialistas contemporâneos em inseticidas estão céticos sobre seu uso para combater o mosquito transmissor da malária. Eles alertam que a duas estrutura são muito semelhantes mudando apena os halogênio cloro e flúor. 

Fonte: The New York Times