A necessidade de novos parâmetros para água potável

Água potável

A maioria dos consumidores de água potável não sabem quais produtos químicos são usados nos processos de tratamento para garantir a qualidade da água. Talvez a informação mais importante que eles sabem é o uso de alguns desses produtos químicos, como cloro e flúor. Todavia, mesmo o cloro adicionado como bactericida pode levar à formação de subprodutos tóxicos não regulamentados.

Leia também

A água destilada é segura para beber?

Ainda 1/3 do mundo não tem acesso a água potável

A diferença entre água destilada e desionizada

Preocupado com esse problema o pesquisador Carsten Prasse do Johns Hopkins, Saúde Ambiental e Engenharia está propondo uma nova abordagem para avaliar a qualidade da água potável que sair de nossas torneiras. Para o pesquisador a questão não é que a cloração não seja importante para manter nossa água potável segura. Mas existem consequências indesejadas que devem ser abordadas e que o usuário precisa saber.

Prasse encontrar mais de 700 subprodutos da desinfecção que foram identificados até agora na água potável clorada e apenas 11 compostos são regulamentados atualmente na água potável, o que não mudou desde a década de 1990 nos Estados Unidos da América.

Uma crítica interessante Prasse é que a antiquada forma para avaliar os produtos químicos na água potável. Muitos métodos analíticos são extremamente entediantes e baseados em métodos frequentemente desatualizados. Por exemplo, os produtos químicos são avaliados atualmente quanto à toxicidade por estudos em animais caros e demorados. No mínimo, seria necessário acrescentar novos métodos de identificação de produtos químicos com maior toxicidade.

Nesse caso, deve-se aproveitar os avanços recentes nos campos da química analítica e da toxicologia molecular, identificação de substâncias tóxicas baseada em suas reatividades com biomoléculas como os aminoácidos, ou mesmo nos blocos de construção das proteínas. Para Prasse essa nova abordagem aumentam as chances de identificação de produtos químicos tóxicos na água potável.

Fonte: Prasse, C., et al. (2021) Reactivity-directed analysis – a novel approach for the identification of toxic organic electrophiles in drinking water. Environmental Science: Processes & Impactsdoi.org/10.1039/D0EM00471E.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *