Uma nova cápsula de café com bioplástico compostável e o meio ambiente agradece

Capsula de café

Um novo bioplástico compostável para uso em cápsulas de café representa mais um passo em frente na produção de cápsulas verdadeiramente verdes.

De acordo com a pesquisa National Coffee Data Trends da National Coffee Association, conduzida em janeiro de 2020, as cápsulas de café em dose única é o segundo método de preparação mais popular na atualidade. O preparo de café em dose única já representa 27% dos bebedores de café.

Leia também

As cápsulas de café biodegradáveis

A Ford, McDonald´s e o café

Beber café faz algo extraordinário no seu corpo

Copos de bambu “ecológico” para café

O Café e a Saúde

Os efeitos da cafeína sobre o cérebro

O aumento nessa forma de fazer café tem como vantagens o uso de um recipiente feito de plástico forrado com alumínio e outros materiais. Desde sua primeira introdução na década de 1980, as cápsulas se tornaram um grande problema ambiental. Alguns relatórios sugerem que o número de cápsulas que já foram usadas se colocadas uma ao lado da outra circundam 11 vezes a circunferência da Terra.

Uma solução para esse problema é o uso de cápsulas de café compostáveis. No momento, várias empresas de café já usam cápsulas de café compostáveis com o objetivo de aliviar o impacto ambiental. Mas as cápsulas de café compostáveis ainda não são perfeitas, de acordo com Zac Hudson, professor assistente de química da UBC e desenvolvedor do novo bioplástico.

Para o pesquisador as soluções existentes carecem de uma barreira realmente boa que evite o contato com o oxigênio e à umidade. Esse contanto faz com que o café perca suas qualidades e, é considerado velho. Além as cápsulas produzidas ainda contêm muitos produtos de petróleo não biodegradáveis que se transformam em microplásticos.

Para solucionar esse problema Zac Hudson e sua equipe trabalharam para desenvolver um produto que levasse a uma bebida com sabor fresco, além de conter o mesmo volume de pó de café que outras cápsulas, ao mesmo tempo mantendo o café fresco por mais tempo sendo totalmente compostável.

As cápsulas de café desenvolvida pelos pesquisadores têm dois componentes principais. A primeira é uma casca externa feita de fibra de bambu que fornece reforço estrutural e permite que o forro seja extrafino. E a segunda uma cápsula bioplástica interna desenvolvida para se decomposta em dióxido de carbono, água e biomassa orgânica.

A capsula de bioplástico é feita predominantemente de ácido polilático (PLA), que é composto com outros materiais vegetais e minerais para dar a resistência ao calor e rigidez necessários para evitar a deformação quando o café é feito. O PLA geralmente vem do milho, mas  pode ser feito de qualquer tipo de produto à base de amido – como batata ou arroz.

Para evitar que produtos à base de petróleo fossem usados na fabricação das cápsulas não são usados adesivos e nem mesmo colas. Em vez disso, os materiais das cápsulas são fundidos usando técnicas de soldagem ultrassônica, obtendo assim um produto totalmente compostável. Segundos os pesquisadores as cápsulas produzidas dessa forma podem ser enviadas para serem compostadas.

As cápsulas desenvolvidas já estreiam no mercado agora no mês de abril tendo a Xoma Superfoods como vendedora. As cápsulas podem ser encomendadas online.

Fonte:

Chemical Institute of Canada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *