A multa ambiental que a Shell levou de Haia

produção de petróleo

Uma decisão do tribunal distrital de Haia que obriga a petrolífera Shell a proteger o clima pode gerar mais ações judiciais neste sentido. Acima de tudo, essa decisão é uma chance real para que inúmeras empresas realmente mudem suas atitudes em relação à questão ambiental.

Para a maioria das empresas, as mudanças climáticas têm sido um tema abstrato principalmente quando se trata do próprio negócio; ou seja, é completamente irrelevante há décadas. Independentemente de sua própria contribuição para o aquecimento global e as consequências catastróficas para a humanidade, muitas empresas ainda operam sem o menor controle e atitude para reduzir suas emissões de gases do efeito estufa. O foco clássico das empresas de modo geral, principalmente aquelas que são tradicionais, é a maximização do lucro a curto prazo. Esse é sem dúvida o “mantra dos acionistas” das empresas, e ainda há no meio empresarial o princípio do aumento dos lucros a todo custo.

Leia também

O que o aquecimento global pode causar

A relação humana com o aquecimento global

Está difícil controlar as emissões de CO2 limitar o aquecimento global em 1,5 graus

Aquecimento global batendo recordes no planeta

Mais recentemente, vem ocorrendo sinais crescentes de que a era das práticas econômicas predominantemente destrutivas está terminando. No momento, estamos em um ponto de inflexão: mais e mais empresas estão reivindicando com entusiasmo a neutralidade climática para si mesmas ou, pelo menos, querem alcançá-la em breve. É claro que muitas “empresas ambientalmente corretas” vem sendo alcançados ou discutido com medidas de compensação parcialmente questionáveis. É importante enfatizar que, além de abordagens ambientais mais voltadas para o marketing, mais e mais empresas estão levando a sério as metas sustentáveis. Parece estar aos poucos, mas com certeza, ganhando aceitação de que é essencial do ponto de vista empresarial desenvolver modelos de negócios à luz dos desafios do 21

Decisão Shell: principais consequências e danos fundamentais à reputação

Aparentemente, as questões de sustentabilidade, como a crise climática, chegaram com força total aos salões sagrados dos departamentos de controladoria e finanças. A última decisão legal contra a petrolífera Shell pode ser vista como ganho da sustentabilidade. Um tribunal de Haia decidiu que a empresa é responsável pelas emissões de CO₂ que comprovadamente contribuem para o aquecimento global e, portanto, têm consequências negativas para a população holandesa e os direitos das pessoas na Holanda.

Nesse contexto, a Shell foi obrigada a reduzir suas emissões de gases de efeito estufa em 45 por cento até 2030, medido em relação ao status do ano de 2019. Os ambientalistas holandeses argumentaram que a Shell estava violando o princípio do poluidor-pagador, estabelecido no Artigo 6: 162 do Código Civil holandês. Além disso, os ambientalistas acusaram a Shell de infringir os artigos 2 e 8 da Convenção Europeia dos Direitos do Homem, que são os direitos à vida e ao respeito pela vida privada e familiar, foram violados.

O julgamento da Shell é uma grande oportunidade da melhoria do clima do planeta. Isso, ocorreu graças ao progresso científico e metodológico, agora é possível atribuir as emissões de CO₂ – pelo menos aproximadamente – aos maiores emissores globais.

Dessa forma, é possível para a parte lesada fazer reivindicações. A decisão da Shell, descrita por especialistas como “avassaladora”, pode ser o início de uma onda de ações judiciais que se abate sobre o mundo corporativo. Se assim for, terá de se ter em conta uma nova perspectiva, especialmente na avaliação do risco e do retorno das empresas: o impacto negativo e positivo da empresa na sociedade. Para tanto, em conjunto com auditores, gestores de risco, conselhos fiscais, uma empresa deverá usar instrumentos de medição e controle adequados para uma gestão empresarial regenerativa e sustentável. Essa é uma enorme oportunidade para que as empresas e a sociedade em conjunto respeitem a sustentabilidade para garantir um meio ambiente melhor.

Fonte:

Taz

Enorm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *