Um software para projetar cidades sustentáveis

Cidade Sustentável

A nova tecnologia pode ajudar as cidades ao redor do mundo a melhorar a vida das pessoas enquanto economiza bilhões de dólares. O software de código aberto gratuito desenvolvido pelo Stanford Natural Capital Project cria mapas para visualizar as ligações entre a natureza e o bem-estar humano. Os planejadores e desenvolvedores de cidades podem usar o software para visualizar onde os investimentos na natureza, como parques e pântanos, podem maximizar os benefícios para as pessoas, como proteção contra enchentes e melhoria da saúde.

Em 2050, os especialistas esperam que mais de 70% da população mundial viva em cidades. À medida que a comunidade global se torna mais urbana, os desenvolvedores e planejadores de cidades estão cada vez mais interessados em infraestrutura mais verdes. Agora se os desenvolvedores não tiverem informações detalhadas eles não terão a capacidade de encorajar a maioria das pessoas a se exercitarem ou mesmo ter uma horta comunitária, por exemplo. Outro fato que deve ser levado em conta é a proteção do risco de enchentes, além de ajudarem as pessoas a se recarregarem mentalmente.

Um software, denominado Urban InVEST e desenvolvido pelo Stanford Natural Capital Project, é o primeiro do gênero para cidades que levam em conta a combinação de variáveis ambientais, como padrões de temperatura, dados sociodemográficos e econômicos, bem como níveis de renda. Os usuários do software podem inserir conjuntos de dados de suas cidades no software ou acessar uma diversidade de fontes de dados globais abertas, de satélites da NASA a estações meteorológicas locais.

Leia também

Os efeitos do aquecimento global sobre os corais

O chocolate: uma vítima do aquecimento global

O efeito do aquecimento global em um Stradivarius

O aquecimento global já alterou o pulmão do planeta

Como a Alemanha vai reduzir a emissão de CO2

Para testar o Urban InVEST, a equipe de desenvolvedores validou o software em várias cidades ao redor do mundo: Paris, França, Lausanne, Suíça; Shenzhen e Guangzhou, incluindo San Francisco e Minneapolis. Em muitos casos, eles trabalharam com parceiros locais para entender questões prioritárias – em Paris, os candidatos em uma eleição municipal estavam fazendo campanha sobre a necessidade de vegetação urbana, enquanto em Minneapolis, os planejadores estavam decidindo como reaproveitar terrenos de campos de golfe subutilizados.

Em Shenzhen, China, os pesquisadores usaram o Urban InVEST para calcular como a infraestrutura natural, como parques, pastagens e florestas, reduziria os danos no caso de uma tempestade severa que ocorre uma vez em cem anos. Eles descobriram que a natureza da cidade ajudaria a evitar danos de 25 bilhões de dólares ao absorver a chuva e desviar as águas das enchentes. Eles também mostraram que a infraestrutura natural – como árvores e parques – estava reduzindo a temperatura do ar diária em Shenzhen em 3 oC durante os dias quentes de verão, proporcionando um valor em dólares de 71.000 por dia em benefícios para a cidade.

Um dos objetivos do software foi verificar a natureza é frequentemente distribuída de maneira desigual pelas cidades – colocando as pessoas de baixa renda em desvantagem. Os dados mostram que comunidades de baixa renda e marginalizadas costumam ter menos acesso à natureza nas cidades, o que significa que são incapazes de colher os benefícios, como melhoria da saúde física e mental, que a natureza oferece às populações mais ricas.

Em Paris, os pesquisadores analisaram bairros sem acesso a áreas naturais e sobrepôs dados de renda e econômicos para entender quem estava recebendo benefícios da natureza. O software ajudou a determinar onde os investimentos em mais espaços verdes – como parques e ciclovias – poderiam ser mais eficazes para aumentar a saúde e o bem-estar de maneira equitativa.

Em Minneapolis-St. Paul, região de Minnesota, a receita do golfe está diminuindo. A crise criou uma oportunidade atraente para os campos de golfe privados venderem seus terrenos para desenvolvimento. Mas os desenvolvedores deveriam criar um parque ou construir um novo bairro? O Urban InVEST mostrou como, em comparação com os campos de golfe, os novos parques podem aumentar o resfriamento urbano, manter as águas dos rios limpas, apoiar os polinizadores de abelhas e sustentar bolsões cada vez menores de biodiversidade. Por outro lado, novos empreendimentos residenciais aumentariam as temperaturas, poluiriam a água doce e diminuiriam o habitat para as abelhas e outras biodiversidades.

O Urban InVEST já está sendo usado fora do ambiente de pesquisa – recentemente ajudou a informar uma avaliação de como a natureza pode ajudar a armazenar carbono e reduzir as temperaturas em 775 cidades europeias. As cidades, mais do que qualquer outro ecossistema, são projetadas por pessoas. Segundo um dos desenvolvedores do software por que não ser mais cuidadoso sobre como projetamos os lugares onde a maioria de nós passa o tempo? Com o Urban InVEST, os governos municipais podem trazer todos os benefícios da natureza aos residentes e visitantes. Eles podem lidar com as desigualdades e construir cidades mais resilientes, resultando em resultados melhores a longo prazo para as pessoas e a natureza

Fonte

Hamel, AD Guerry, S. Polasky, B. Han, JA Douglass, M. Hamann, B. Janke, JJ Kuiper, H. Levrel, H. Liu, E. Lonsdorf, RI McDonald, C. Nootenboom, Z. Ouyang, RP Remme, RP Sharp, L. Tardieu, V. Viguié, D. Xu, H. Zheng, GC Daily. Mapeando os benefícios da natureza nas cidades com o software InVEST. npj Sustentabilidade Urbana, 2021; 1 (1) DOI: 10.1038 / s42949-021-00027-9

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *