O álcool etílico como combustível, bebida e antisséptico

Vinho

O etanol (com fórmula CH3CH2OH ou C2H6O), também chamado álcool etílico e, na linguagem corrente, simplesmente álcool, é uma substância orgânica obtida da fermentação de açúcares, hidratação do etileno ou redução de acetaldeído, encontrado em bebidas como cerveja, vinho e aguardente, bem como na indústria de perfumaria.

Estrutura álcool etílico

Álcool etílico como combustível

No Brasil, o álcool etílico (é mais referenciado em temos de combustível como etanol) é muito utilizado como combustível de motores de explosão, sendo considerado um combustível obtido de maneira renovável. Por ser uma molécula muito menor que os constituinte da gasolina, o etanol é considerado um biocombustível que contribui para reduzir os efeitos do aquecimento global.

Embora, existem diversas formas de produzir o etanol como milho, beterraba, o etanol aqui no Brasil vem sendo produzido somente pela fermentação da cana-de-açúcar. O rendimento da produção de etanol brasileira é de cerca de 1 tonelada de cana produz 70 litros de etanol. A produção de etanol passa pelas seguintes etapas do processo:

  • Trituração e moagem da cana para a obtenção da garapa com alto teor de sacarose;
  • Concentração e cristalização da garapa para a produção de duas porções: açúcar escuro, que é usado para produzir o açúcar comum, e o melaço, que é usado para se produzir o álcool;
  • Fermentação do melaço obtendo-se o mosto fermentado, com cerca de 12% de etanol em volume;
  • Destilação fracionada do mosto fermentado que produz o álcool comum a 96ºGL (96 graus Gay-Lussac), que é composto por 96% de etanol e 4% de água.

Leia também

O que o álcool causa ao corpo

As duas gerações do álcool combústivel

Qual é o perigo do álcool em gel

O que são combustíveis e onde são usados

 

Álcool etílico como bebida

Acredita-se que a bebida alcoólica teve origem na Pré-História, mais precisamente durante o período Neolítico quando houve a aparição da agricultura e a invenção da cerâmica. A partir de um processo de fermentação natural ocorrido há aproximadamente 10.000 anos o ser humano passou a consumir e a atribuir diferentes significados ao uso do álcool.

As bebidas alcoólicas possuem em sua composição o álcool etílico e são diferenciadas umas das outras pelo tipo de matéria-prima utilizado na sua produção e pelos diferentes teores alcoólicos. Porém, a fermentação usada é basicamente a mesma; isto é, processo realizado por microrganismos (leveduras) que digerem os açúcares os açúcares de cereais e frutas, e como resultado produzem álcool etílico e dióxido de carbono (CO2).

As bebidas alcoólicas podem ser divididas em

  • Destiladas: Depois de fermentada, a bebida alcoólica é destilada e o vapor é recolhido. Dependendo do tipo de bebida esse processo pode ser repetido para aumentar a concentração de álcool na bebida. Nessa classe de bebida temos a cachaça (destacando a cachaça cabaré, havana, 51 e salinas), cujo teor alcoólico varia entre 38o e 45o A cachaça é feita de feita de cana-de-açúcar, ao contrário do whisky que é produzido a partir de cereais, como cevada e milho. O seu teor alcoólico varia de 42o a 48o GL. Entre os whiskies se destacam Cavalo Branco, Johnnie Walker, Chivas e Red Label.
  • Não destiladas: São bebidas alcoólicas que não são destiladas e diferenciam-se das destiladas por ter teores alcoólicos relativamente mais baixos (máximo de 15o GL (15% de álcool). Uma característica das bebidas alcoólicas não destiladas são os sabores e cheiros que dependem do tipo de matéria-prima e aditivos utilizados na fermentação. Dentre os exemplos de bebidas não destiladas destacam-se os vinhos,produzidos com as diversas uvas como cabernet Sauvignon, carménère, syrah, tempranillo, merlot; e a cerveja, produzida com malte, lúpulo e água, destacando a Skol, Brahma, Antarctica, Nova Schin e Itaipava, respectivamente. São acessíveis e fáceis de encontrar em qualquer bar e supermercado.

Álcool etílico na área da saúde

Em tempo de pandemia de Covid-19, o álcool 70% ganhou destaque mundial para a prevenção da doença. O álcool etílico à 70% possui ação contra bactérias na forma vegetativa, vírus envelopados (por ex. H1N1, coronavírus) micobactérias e fungos. Por causa dessa capacidade, o álcool 70% é recomendado e usado como desinfetantes e antissépticos. Como ele não têm ação contra a forma esporulada de bactérias e nem contra vírus não envelopados não podem ser utilizados como esterilizantes químicos.

O mecanismo de ação germicida do álcool é baseado na desnaturação de proteínas dos microrganismos e remoção de lipídios o que causa a desidratação e precipitação do citoplasma ou protoplasma das bactérias.

É importante salientar que, para possuir ação germicida, o álcool etílico precisa estar diluído em água numa concentração de 70% p/p ou 77 v/v, uma vez que a água facilita a entrada do álcool no interior do microrganismo e diminui a sua evaporação aumentando o tempo de ação.

O álcool etílico a 70% tem sido amplamente utilizado na prevenção de infecção relacionada à assistência saúde no ambiente hospitalar, tendo em vista a sua eficácia, baixa toxicidade, baixo custo e facilidade de uso.

Fontes:

Wikipédia

Manual da Química

PEBMED

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *