Selênio, aplicações, ocorrência e importância na saúde

Selênio

O selênio (do grego σελήνιον, resplendor da lua) é um elemento químico de símbolo Se essencial a maioria das formas de vida. Em condições normais de temperatura e pressão (CNTP), o selênio encontra-se no estado sólido. É um não metal do grupo dos calcogênios (16 ou VIA) da Classificação Periódica dos Elementos.

História do selênio

O selênio foi descoberto por Jöns Jacob Berzelius em Estocolmo em 1817. Ele tinha participações em uma fábrica de ácido sulfúrico e ficou intrigado com um sedimento marrom-avermelhado que se acumulou no fundo das câmaras em que o ácido foi feito.

A princípio ele pensou que era o elemento telúrio porque exalava um forte cheiro de rabanete quando aquecido, mas ele finalmente percebeu que era na verdade um novo elemento. Ele também observou que era como o enxofre e, de fato, tinha propriedades intermediárias entre o enxofre e o telúrio. Berzelius descobriu que o selênio estava presente em amostras de telúrio e deu a esse elemento seu cheiro característico. Ele também foi afetado por ele pessoalmente – pode ser absorvido pela pele – e isso o fez sentir o mau hálito associado àqueles que trabalham com esse elemento.

Aplicações do selênio

O maior uso do selênio é como aditivo ao vidro. Alguns compostos de selênio descoloram o vidro, enquanto outros dão uma cor vermelha profunda. O selênio também pode ser usado para reduzir a transmissão da luz solar no vidro arquitetônico, dando-lhe uma tonalidade bronze. O selênio é usado para fazer pigmentos para cerâmica, tintas e plásticos.

O selênio tem uma ação fotovoltaica (converte luz em eletricidade) e uma ação fotocondutiva (a resistência elétrica diminui com o aumento da iluminação). Portanto, é útil em fotocélulas, células solares e fotocopiadoras. Ele também pode converter eletricidade CA em eletricidade CC, por isso é amplamente utilizado em retificadores.

O selênio é tóxico para o fungo do couro cabeludo que causa a caspa, por isso é usado em alguns xampus anticaspa. O selênio também é usado como aditivo para fazer aço inoxidável.

Ocorrência do selênio

O selênio está entre os elementos mais raros na superfície deste planeta e é mais raro do que a prata.  O selênio está presente na atmosfera como derivados de metila. Selênio não combinado é ocasionalmente encontrado e existem cerca de 40 minerais que contêm selênio, alguns dos quais podem ter até 30% de selênio – mas todos são raros e geralmente ocorrem junto com sulfetos de metais como cobre, zinco e chumbo. Os principais países produtores são Canadá, EUA, Bolívia e Rússia. A produção industrial global de selênio é de cerca de 1.500 toneladas por ano e cerca de 150 toneladas de selênio são recicladas de resíduos industriais e recuperadas de fotocopiadoras antigas.

O selênio ocorre naturalmente no meio ambiente. É liberado tanto por processos naturais quanto por atividades humanas. O solo agrícola bem fertilizado geralmente tem cerca de 400 mg / tonelada, uma vez que o elemento está naturalmente presente nos fertilizantes fosfatados e é frequentemente adicionado como um nutriente residual. Em sua forma natural, como um elemento, o selênio não pode ser criado ou destruído, mas o selênio tem a capacidade de mudar de forma.

Os níveis de selênio nos solos e nas águas aumentam, porque o selênio se deposita do ar e o selênio dos resíduos também tende a acabar nos solos dos locais de disposição. Quando o selênio no solo não reage com o oxigênio ele permanece bastante imóvel. O selênio que é imóvel e não se dissolve na água é um risco menor para os organismos. Os níveis de oxigênio no solo e a acidez do solo aumentam as formas móveis de selênio. Níveis mais elevados de oxigênio e aumento da acidez dos solos são geralmente causados por atividades humanas, como processos industriais e agrícolas.

Quando o selênio é mais móvel, as chances de exposição a seus compostos aumentam muito. A temperatura do solo, a umidade, as concentrações de selênio solúvel em água, a estação do ano, o conteúdo de matéria orgânica e a atividade microbiana determinam a rapidez com que o selênio se moverá pelo solo. Em outras palavras, esses fatores determinam sua mobilidade.

A agricultura não pode apenas aumentar o conteúdo de selênio no solo; também pode aumentar as concentrações de selênio nas águas superficiais, visto que o selênio é trazido junto com a água de drenagem de irrigação.

Isótopos de selênio

Os isótopos de selênio são usados principalmente para a produção de radioisótopos médicos e industriais. 77Se e 78Se são usados para a produção do radioisótopo terapêutico 77Br. O 80Se é usado para a produção do radioisótopo médico 80mBr. 74Se é usado para a produção de 75Se, que é usado como uma fonte em radiografia gama. O Se-76 pode ser usado para a produção dos isótopos médicos 75Br e 76Br.O 82Se tem sido usado para estudar o decaimento beta duplo. A maioria dos isótopos de selênio foram usados em estudos sobre o papel do selênio como um nutriente essencial.

O selênio e a saúde

O selênio é um mineral fundamental a diversos processos em nosso organismo, por exemplo, ele atual no interior das células reduzindo os radicais livres. Nesse sentido, a ação do selênio no organismo previne o envelhecimento precoce além de proteger o cérebro e colaborar com as funções da tireoide e eliminação de substâncias tóxicas. Um estudo publicado pelo periódico Nutrients investigou como a deficiência de selênio pode estar relacionada com o surgimento de doenças como o câncer e o diabetes.

Leia também

Selênio: benefícios e contaminação

Selênio: um elemento letal nos complexos vitamínicos

Os resíduos químicos nas frutas e legumes

Semente de linho: composição química

O guaraná e seus 10 benefícios para a saúde

 

Também existem relatos que apontam os níveis baixos de selênio como possíveis responsáveis por doenças como hipertensão, dislipidemia e o surgimento de aterosclerose. Além disso, há evidências de que a falta do nutriente possa afetar a fertilidade, tanto em homens quanto mulheres.

Qual quantidade é ideal do consumo de selênio para usufruir dos benefícios. A ingestão diária recomendada pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) para adultos saudáveis é de 55 µg (micrograma grama) por dia, o que representa, em média, uma castanha-do-pará por dia.

Abaixo é apresentada uma lista com a concentração de selênio (para cada 100 gr de alimento) de castanhas mais consumidas no Brasil:

  • Castanha- do-pará: 5,6 mg
  • Noz macadâmia: 4,4 mg
  • Castanha de caju: 3,2 mg
  • Noz pecan: 2,7 mg
  • Amêndoa: 1,2 mg
  • Pistache: 0,33 mg
  • Avelã: 0,17 mg

Fonte

Royal Society of Chemistry

Lenntech

Encontro

Webelements

Urenco

Wickbold

Nutritotal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *