Ícone do siteClube da Química

Como o mol liga o mundo macro com microscópico

O termo mol

Como o mol liga o mundo macro com microscópico é um post que mostra como podemos trabalhar o mundo microscópico dos átomos no nosso mundo macroscópico. Bom, a primeira vez que a gente se depara com o mol é na definição do número de Avogadro. A partir da ai nós começamos a trabalhar com o mol, principalmente no estequiometria. Por exemplo, no post “Como ocorreu a definição da unidade mol” mostramos para você como o mol foi definido e onde ele está presente na vida de um estudante de Química. Descubra então nos posts abaixo:

Qual a importância do termo mol para a química

Agora, uma das questões básicas e mais importantes da química é “o que está implícito em um mol de uma substância específica”. Para entendê-lo, vamos olhar atentamente para o conceito de mol e relacioná-lo com o termo “molar” é uma palavra latina que significa “uma grande massa”. 

Por outro lado, o termo mol é significativo para as pessoas que trabalham na indústria química. Permite-lhes lidar e trabalhar com as unidades do mundo macro, suas quantidades e todo o mundo subatômico. Dessa forma, átomos, fórmulas e moléculas são unidades muito pequenas e também muito difíceis de trabalhar. Ao definir o mol, ajuda os cientistas a permitir que eles convertam mols em partículas equivalentes ou gramas em mols equivalentes.

Introdução do termo mol

Então, o químico alemão August Wilhelm Hofmann, por volta de 1865, criou o termo molar (do latim moles, que significa “grande massa“). Assim, ele introduziu o termo para indicar uma grande massa macroscópica. Então, o termo molar contraria, assim, a palavra “molecular” (palavra também derivada de moles, pela adição do sufixo “-cula”, significando “pequeno” ou “diminuto”).

Em outras palavras, em vez de falar de macroscópico versus microscópico, fala-se de molar versus molecular. Esse uso específico do termo molar também ganhou popularidade na literatura da física, onde era de uso comum pelo menos até a década de 1940. Dessa forma, costuma-se atribuir o uso mais restrito do termo molar para significar não apenas uma amostra macroscópica qualquer, mas aquela cuja massa em gramas reflete diretamente a massa de suas moléculas constituintes, bem como o uso do substantivo “mole”.

O uso mais restrito do termo molar, mas preferivelmente uma massa em gramas que reflete a massa de todas as moléculas contidas, bem como o uso da terminologia “mol“, é geralmente atribuído ao eminente químico e filósofo russo-alemão Wilhelm Ostwald. Bom, ele é uma figura chave no desenvolvimento da físico-química como um ramo reconhecido da química. Ironicamente, o conceito mole estava diretamente relacionado à sua oposição filosófica à teoria atômica de Ostwald e ao Movimento Browniano de Jean Perrin.

Dessa forma, o termo mol começou a aparecer em vários livros científicos do século XX. De forma irônica, o uso do termo empregado por Ostwald esteve relacionado, sobretudo, com sua crítica à teoria atômico molecular. Então, Wilhelm Ostwald usou o mol em um tentativa de estabelecer uma alternativa macroscópica para a discussão das leis estequiométricas.

Em 1950, nos livros de química norte americanos, o mol por grama se tornou comum na resolução de problemas estequiométricos. 

Gostou? Comente e visite nossas redes sociais:

Instagram

Facebook

Twitter  e

Linkedin

Fonte

Answeregy

Brasil Escola

De Gruyter

Study Lib

Trabalhos feitos

Sair da versão mobile