Ícone do siteClube da Química

Quando eu uso a teoria de Arrenhius ou Lowry-Bronsted

Dr Genilson Pereira Santana

Genilson Pereira Santana (autor)

Quando eu uso a teoria de Arrenhius ou Lowry-Bronsted é um post que estava querendo escrever há muito tempo. Porque sempre me deparava com a dúvida do uso das duas teorias. Além disso, ao longo dos anos observei que os alunos e até mesmo doutores passaram a usar as duas teorias de forma erradas. Então, vamos lá.

Antes de falar propriamente dito quando usar uma teoria e a outra, devo convidar você o post “Tudo sobre as teorias ácido-base” para você descobrir sobre as teorias existente sobre os ácidos e base. Além disso, você não deve confundir caráter ácido base de uma substância com a teoria.

Assim, as soluções de ácido clorídrico (HCl) sempre terá um o pH menor que 7,0; ou seja, ácido. Por outro lado, uma solução de hidróxido de sódio (NaOH) sempre terá uma pH maior que 7,0; ou seja, básico.

O que diz os livros sobre as duas teorias?

Quando tratam das teorias de ácido-base, os livros de química geralmente apenas usam as definições pura e simplesmente. Outro fato, interessante é que nos livros sempre afirmam que a teoria de Lewis é a melhor.

No entanto, parece que nós nunca conseguimos nos livrar da teoria de Arrhenius. Será por quê? Embora, não seja dito especificamente teoria de Arrhenius, ela sempre está inserida na forma de nós expressamos as equações química. Por exemplo, a reação abaixo é uma forma de representar clássica do que estou falando:

+

Então, se você observar a reação acima, você verifica que a forma que a expressamos tem um íon H+ sendo liberado. Ou seja, segundo a teoria de Arrhenius “ácido é toda substância que em água libera íons H+“, e é isso que a reação expressa.

Por outro lado, observe a reação abaixo. Bom, ela é a forma de representar um ácido e uma base segundo Bronsted-Lowry:

+ +

Bom, a forma que representamos as duas teorias tem que está bem clara. Agora, existe um diferencial muito grande entre as duas teorias que é o solvente. Como assim? No caso, da teoria de Arrhenius só devemos usar sua representação de reação para soluções aquosas. Porque ele foi elaborada no solvente água. Nunca devemos esquecer isso.

Já a teoria de bronsted-Lowry a teoria se aplica não só para soluções aquosas mas para outros solventes. Aí aqui quero falar para você que a teoria de Lewis você pode usá-la para outros solvente. Então, não podemos esquecer disso.

As exceções nas teorias

A primeira vez que me deparei com exceção a teoria ácido e base, foi ao observar que os livros de modo geral não representava na teoria Bronsted-Lowry o hidróxido de sódio (NaOH), por que?

Geralmente quando se define uma base segundo a teoria de Arrhenius é utilizado o hidróxido de sódio (NaOH). No entanto, a literatura normalmente utiliza a amônia () para definir a teoria de Bronsted-Lowry. O porquê disso é muito difícil de ser encontrado na literatura. A verdade é que o hidróxido de sódio (NaOH) pelo fato de ser apenas dissociado basicamente pela água, ele é considerado um sal pela teoria de Bronsted-Lowry; ou seja,

+

Por outro lado a é usada pare definir a teoria de Bronsted-Lowry da seguinte forma:

+ +

A coisa muda de figura quando se utiliza a teoria de Arrhenius, o passa ser representado como . Assim, teremos

  +

Agora sim, temos uma base de Arrhenius; ou seja, uma substância que libera íons OH em água. Espero que com este post você tenha entendido um aspecto muito sútil das teorias. O que quero dizer a você que a teoria não explica tudo.

Continue descobrindo mais aqui no Clube da Química. Te convidamos a acessar os seguintes posts. Vale a pena. Vamos lá.

Então, gostou? Bom, então comente e visite nossas redes sociais:

Instagram

Facebook

Twitter  e

Linkedin

Fonte

Intechopen

Sair da versão mobile