O que é solo contaminado (poluído)

Poluição do solo

Como consequência do desenvolvimento tecnológico e do crescimento demográfico, as atividades industriais, agrícolas e extrativismo mineral aumentaram consideravelmente a partir da revolução industrial. Como consequência o meio ambiente recebeu e ainda recebe em todas as partes do mundo grandes quantidades de substâncias químicas. Muitas dessas substâncias possuem alta toxicidade para a fauna, flora e o homem.

É possível encontrar em diversas partes do mundo água, solo e ar com grandes concentrações de substâncias tóxicas. Particularmente no caso do solo, grandes extensões de áreas já se encontram contaminadas por sais, metais pesados (metais potencialmente tóxicos), compostos orgânicos, elementos radioativos, plásticos etc. A presença desses contaminantes causa impactos ambientais sobre a vegetação, organismos dos solos, águas superficiais e subterrâneas.

Os contaminantes inorgânicos mais frequentemente encontrados no solo são os metais pesados, termos que foi introduzido por Niels Bjerrum em 1936. Bjerrum classificou o temo metais pesados para aqueles metais que possuíam densidade 7,0 g cm-3 e atribuído posteriormente para metais com peso específico maior que 5 g cm-1 ou com número atômico maior que 20. Entretanto, o termo metal pesado é inadequado devido à expressão englobar metais, semimetais e mesmo não metais.

Os elementos químicos normalmente incluídos no grupo dos metais pesados são: arsênio, cádmio, cobre, estanho, antimônio, chumbo, bismuto, prata, mercúrio, molibdênio, índio, ósmio, paládio, ródio, rutênio, cromo, níquel e vanádio.

Atualmente, os metais pesados passaram a representar todos os metais potencialmente tóxicos cujos efeitos tóxicos estão descritos no post “A toxicidade dos metais pesados”. Os efeitos agudos provocados pelos metais pesados ocorrem de exposições curtas cujos sintomas nem sempre matam no primeiro momento. Em compensação os efeitos crônicos causam problemas ao longo dos anos até levar a morte por doenças como o câncer. Devemos chamar a atenção para fato de que o processo de contaminação é acumulativo; ou seja, os metais pesados vão se acumulando aos longos dos anos até aparecer os sintomas da contaminação.

No caso dos solos, os metais pesados entram na cadeia alimentar dos seres humanos, pois são facilmente absorvidos pelas plantas. Assim se uma alface for cultivada em um solo contaminado por metais pesados, ele será absorvido e ao ser consumido irá ser acumular no organismo das pessoas.

Leia também

A toxicidade dos “metais pesados”

A contaminação por metais tóxicos

A Fitorremediação para remediar solos contaminados

O repolho na recuperação do lítio das baterias

 

Remediação de Solos Contaminados por metais pesados

A remediação de solos contaminados por metais pesados é necessária quando as concentrações de metais se apresentarem acima das concentrações máximas aceitáveis para a área e levarem risco à saúde humana ou meio ambiente.

O objetivo da remediação é a eliminação, contenção ou isolamento das fontes de contaminação; prevenção ou controle da exposição aos receptores; remoção de massa de contaminantes além da retração e contenção do avanço das plumas de contaminação.

Técnicas como extração multifásica, remoção e destinação do solo, oxidação química, entre outras, podem ser utilizadas isoladamente ou em conjunto para a remediação de solos contaminados por metais pesados. Mais recentemente a remediação de solos contaminados vem sendo feita com uso de plantas. A fitorremediação é uma alternativa aos métodos convencionais desde que o potencial destes organismos seja avaliado. No post a “A Fitorremediação para remediar solos contaminados” tem mais detalhes sobre a fitorremediação.

Fonte:

Educorumbataí

BioVert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *