Os óxidos de ferro e as pinturas antigas

Pintura rubestre

Então, os óxidos de ferro e as pinturas antigas é um post que tratar daquelas pinturas antigas encontradas nas cavernas em quase todo o mundo.  Bom, essas pinturas representam formas fundamentais de relacionamento humano. Dessa forma, a arte rupestre mostra os indivíduos como intérpretes de seu próprio tempo e de sua cultura.

Além disso, você pode encontrar nas pinturas rupestre o homem contando a sua história com representações das relações dos seres humanos e outros animais. Assim, as pinturas rupestre  permitem nós conhecemos os costumes das sociedades antigas.

Neste contexto, temos que fazer a seguinte pergunta: Qual origem das tintas na pré-história?

Origem das tintas na pré-história

Então, como o homem na pré-história não tinha a tecnologia que temos hoje eles usavam tintas grosseiras para fazer seus registros nas paredes das cavernas. Portanto, eles usavam tintas à base de corantes naturais. Por exemplo: terras; carvão vegetal; óxido de ferro; cal branco; e ossos queimados de animais.

Dessa forma, podemos encontrar diversos pigmentos nas cavernas pré-históricas. Por exemplo:

  • Na caverna de Lascaux na França há hematita hidratada e anidra vermelha e amarela, óxido de manganês marrom, preto e calcita branca.
  • Em Altamira, Espanha, a hematita vermelha
  • Na Provença, sul da França, ao lado da hematita e da terra vermelha, há o uso de bauxita e maghemita.

Bom, os tons de vermelho, assim como o amarelo e o lilás vinham de pigmentos feitos de óxido de ferro, como goethita, hematita e limonita. Então, os homens pré-históricos descobriram que na terra esse óxido de ferro não se desvaneceria com a mudança do ambiente.

Vejam algumas das maravilhas dos óxidos de ferro nas cavernas pré-históricas

Mas, qual desse pigmentos dá a cor vermelha?

De fato, os homens pré-históricos podem ter descoberto que, ao contrário das cores de corantes que usavam e que eram derivadas de fontes animais e vegetais, a cor vermelha vinha dos depósitos de óxido de ferro. Por esta razão, acredita-se que os homens viajavam por todas as partes para manter um suprimento constante de pigmentos da terra. Então, dessa forma nós encontramos pigmentos pré-históricos do Texas à África do Sul. Até hoje, você pode encontrar trilhas levam a depósitos de hematita que os homens pré-históricos utilizam.

Portanto, os historiadores deduziram que o ímpeto por trás de todas as atividades de mineração foi a necessidade do homem pré-histórico por pigmentos ocres. Acredita-se que os homens pré-históricos viajavam até 800 km para obter pigmentos de terra de ferro.

Os pigmentos com óxidos de ferro

Com você pode perceber, os homens pré-históricos aprenderam o valor dos óxidos de ferro para as suas pinturas. Mas, quais óxidos de ferro eles usavam? Vamos para os óxidos de ferro que os homens pré-históricos usavam:

  • Goethita que é um óxido de ferro com fórmula química FeO(OH) que pode ocorrer em vários tons de castanho, laranja, amarelo e vermelho.
  • Hematita com fórmula α-Fe2O3 que é um mineral muito comum nos solos e rochas, possui brilho metálico e coloração preta, cinza, marrom, marrom avermelhado ou vermelho.
  • Limonita que é um termo aplicado a um grupo de óxidos de ferrohidratados, amorfos e de cor amarela ou acastanhada, formados a partir da oxidação de minerais que contêm ferro.

Então, os homens pré-históricos tiveram que desenvolver técnicas para mudar a cor dos óxidos de ferro. Dessa forma, eles desenvolveram uma técnica de aquecimento de substâncias para produzir uma nova substância. Ou seja, eles usaram uma reação química que mudava o ocre amarelo da terra para uma uma nova substância vermelha diferente da hematita natural ou da terra vermelha. Para produzir a nova cor, eles conseguiram mudar a cor do óxido de ferro hidratado (III) para óxido de ferro anidro (III).

Fonte

Royal Society of Chemistry

Rupestrian Paintings

Webexhibits

2 thoughts on “Os óxidos de ferro e as pinturas antigas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.