Por que reciclar um plástico biodegradável?

Quando foram desenvolvidos, os plásticos biogradável eram considerados uma excelente alternativa para a preservação do ambiente. Ao contrário dos plásticos tradicional, o plástico biodegradável como o próprio nome diz é degradado facilmente por microrganismos como bactérias, algas e fungos. Esses microrganismos convertem os plásticos biodegradáveis em dióxido de carbono e água.

Leia também

Só a reciclagem resolve o problema do plástico?

Steve Jobs e a reciclagem

As cápsulas de café biodegradáveis

Quantos de microplástico nós estamos consumido por ano?

Upcycling: lâmpadas feitas de garrafas plásticas

A Química e a economia circular

Por outro lado, os plásticos tradicionais estão espalhados por praticamente todo ambiente do planeta. Por demorarem mais tempo no ambiente simplesmente por ter um processo de degradação lento, os plásticos tradicionais vêm sendo reduzidos em partículas muitos pequenas. Atualmente, partículas maiores e até mesmo os microplásticos estão sendo identificados em uma quantidade muitos grande desde animais terrestres até marinhos. É possível encontrar a presença de plásticos em todos os seres vivos do planeta.

Por causas dos efeitos maléficos dos plásticos tradicionais a reciclagem ganhou importância e mais recentemente o upcycling. Particularmente, no caso do upcycling essa estratégia surgiu para aumentar o ciclo de vida de produtos danosos ao ambiente e redução da exploração dos recursos naturais.

Um termo muito no ciclo de vida bem como no upcycling é a economia circular. Essa economia propõe uma mudança em toda a maneira de consumir, do design dos produtos até nossa relação com as matérias-primas e resíduos. Conceitualmente, ela está baseada na inteligência da natureza. O processo circular ao contrário do linear o processo circular os resíduos são insumos para a produção de novos produtos. No ambiente, restos de frutas consumidas por animais se decompõem e viram adubo para plantas. Nesse conceito não existe a ideia de resíduo, e tudo é continuamente nutriente para um novo ciclo.

Quando pensamos somente em plástico biodegradável temos um processo linear cujo final é a formação de dióxido de carbono e água. Para inserimos o plástico biodegradável na economia circular é necessário interromper o processo de biodegradação do bioplástico. Uma maneira mais rápida e eficiente de reciclar bioplásticos baseados em plantas foi desenvolvida por uma equipe de cientistas das Universidades de Birmingham e Bath.

A equipe mostrou como o método de reciclagem química pode inserir o bioplástico na economia circular. Os pesquisadores conseguiram converter os bioplásticos, feitos de ácido polilático (PLA), em um solvente biodegradável com ampla aplicada em uma variedade de indústrias, incluindo cosméticos e farmacêuticos.

Outra forma bastante interessante de economia circular para os bioplásticos foi desenvolvida por pesquisadores Belga (KU Leuven) e alemãs (Leibniz-institute). Eles por catalise despolimizaram o bioplástico em Methyl lactate e depois em lactide precursor do bioplástico.

Enfim tudo isso nos mostra que temos que ter uma mudança de comportamento buscando sempre o espirito da economia circular.  

Fontes:

Román-Ramírez, L. A. et al. Chemical Degradation of End-of-Life Poly(lactic acid) into Methyl Lactate by a Zn(II) Complex. Industrial & Engineering Chemistry Research, v. 59, n. 24, p. 11149-11156, 2020.

Ciercq, R. D. et al. Titania-Silica Catalysts for Lactide Production from Renewable Alkyl Lactates: Structure–Activity Relations. ACS Catalysis, v. 8, n. 9, p. 8130-8139, 2018.