O que tem nas águas Amazônicas

A região amazônica é sem dúvida nenhuma um dos maiores patrimônios do mundo, além de uma biodiversidade biológica. A Amazônia tem também as maiores quantidades de água doce do mundo, não só superficial mais também subterrânea. As suas águas superficiais são marcadas por características bastante especiais. Esse é o caso das águas dos seus enormes mananciais aquáticos como rios, igarapés e lagos.

Leia também

Vamos produzir o encontro das água no copo

As cores das águas da Amazônia

O Encontro das águas

 

Os rios da Amazônia, por exemplo, possuem características só encontradas na região é possível encontrar em três categorias de águas: brancas, pretas e claras. As águas brancas são encontradas nos rios Solimões, Amazonas, Madeira, Purus entre outros. Essas águas possuem elevada quantidade de material em suspensão provenientes dos Andes e da erosão dos sedimentos. Essas águas possuem grandes quantidades de sais dissolvidos, principalmente cálcio e magnésio e HCO3. Outra característica peculiar é a baixa quantidade de material orgânico presentes em suas águas. Por causa dessas características essas águas são classificadas como carbonatadas com valores de pH variando entre 6,2 e 7,2.

As águas claras que têm origem em formações geológicas muito antigas sendo encontradas nos rios como Tapajós e Xingu são oriundas da Amazônia Central são límpidas O relevo na região onde estão as águas claras são relativamente planos e regulares e com baixas taxas de erosão. Por isso, as águas têm quantidades significativamente menores de material suspenso, conferindo-lhes um aspecto cristalino, com uma transparência que varia de 1,10 a 4,30 m. Diferentemente do aspecto lamacento das águas brancas, as águas claras variam de verde-claro a verde-oliva. Quimicamente, as águas claras são mais diversificadas, podendo variar de ácidas a levemente alcalinas com valor de pH entre 4,5 e 7,8.

As águas pretas, encontradas no Rio Negro e na maioria dos seus afluentes, apresenta, como o próprio nome indica, coloração escura, variando do marrom-café até o marrom-oliva, com uma transparência de 1,30 a 2,30 m. São águas quimicamente uniformes, na sua grande maioria ácidas, com valores de pH entre 3,8 e 4,9. A elevada acidez deve-se à presença de grandes quantidades de substâncias orgânicas dissolvidas (ácidos húmicos e fúlvicos), provenientes da drenagem de solos arenosos cobertos por vegetação conhecida como campina, campinarana ou caatingas amazônicas

As diferenças encontradas nos rios da Amazônia faz com que cada bacia tenha um tipo de fauna e flora aquáticos bastante particular, como o encontro das águas.