O mercúrio: os dois lados da história

O mercúrio, nome que significa água prateada, teve notoriedade nos tempos antigos. Esse metal líquido era usado para o tratamento de diversas doenças, como reumatismo, disenterias, cólicas, etc. Em determinado tempo foi considerado afrodisíaco, bem como excelente remédio para se livrar de piolho e sarnas.

Leia também

Revista mercúrio

Os 10 venenos mais mortais conhecidos pelo homem

O mercúrio e a Amazônia

Mercúrio – Cenas de contaminação

As mudanças climáticas e os peixes contaminados

Essa diversidade lhe rendeu poderes mágicos para a solução de diversos problemas. Somente em 1557, o francês Jean Fernel, descobriu os primeiros sintomas atribuídos à contaminação por mercúrio. Na verdade o mercúrio, mais precisamente o metilmercúrio, causa disfunções do sistema nervoso central, dormência em braços e pernas, visão nebulosa, letargie e irritabilidade. A OMS afirma que níveis de mercúrio entre 10-20 mg g-1 no cabelo de mulheres grávidas são suficientes para afetar o desenvolvimento do feto. Dentre os problemas, tem-se paralisia cerebral, ocasionando retardamento mental e distúrbios motores e mesmo paralisia de pernas e braços.