Descoberta do nylon

A descoberta do naylon, como ocorreu? Então, podemos dizer que o naylon (náilon) é um daqueles produtos descoberto por acaso.  Em meados da década de 1930, vários cientistas da DuPont Chemicals liderados por Wallace Carothers secretamente colocaram seus nomes na história. Isso porque eles desenvolveram um polímero, conhecido naquela época como “fibra 6-6” e atualmente naylon. 

Carothers e seus colaboradores fizeram um polímero combinando hexametilenodiamina, uma substância cristalina que se liga facilmente com ácidos, e ácido adípico. Dessa forma, eles então puxaram os fios da mistura e os fiaram em linha de plástico usando um processo chamado trefilação a frio.

Três anos depois, as instalações de produção da DuPont eram capazes de produzir até 6 milhões de toneladas do material anualmente. A empresa inicialmente testou o naylon em escovas de dente, mas acabou se concentrando em explorar o mercado de meias femininas.

Leia também

Químicos criam gel de polímero flexível a partir da cafeína

Revista Polimero

Em 1940, o naylon entra no mercado na forma de meias. Dessa forma,  as mulheres em todos os Estados Unidos lotaram as lojas de departamentos para colocar as mãos em um par.  

As meias femininas estavam na moda no final dos anos 1930, mas na América pós-Depressão, o alto preço da seda de que eram feitas não era. Então, quando as meias de náilon relativamente baratas chegaram às prateleiras, a demanda disparou. “Nylons”, como os conhecemos agora, rendeu $ 9 milhões para a DuPont em 1940 – $ 150 milhões em dólares de hoje .

Apesar de seu primeiro ano de grande sucesso, a DuPont mudou quase toda a sua produção de nylon do mercado de consumo para o militar em 1941, quando os Estados Unidos entraram na Segunda Guerra Mundial. As forças aliadas usaram o material para tudo, desde paraquedas a redes mosquiteiras .

Mas, àquela altura, as tendências da moda já haviam estimulado uma demanda tão alta pelas meias que, quando os consumidores não conseguiram colocar as mãos nelas, surgiu um mercado negro . Algumas mulheres até recorreram a pintar as pernas na tentativa de capturar o visual.

uando a guerra terminou e a produção voltou aos níveis anteriores à guerra, os consumidores correram para as lojas de departamentos. Eles esperavam em filas que diminuíam as filas da Black Friday e às vezes até resultavam em tumultos violentos. O fenômeno ficou conhecido como motins de náilon.

Um dos exemplos mais notáveis ​​ocorreu em Pittsburgh em 1945, onde 40.000 mulheres fizeram fila para tentar agarrar um par.

Fonte:

Mentalfloss

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.