O que é oxigênio medicinal

cilindro oxigênio

O oxigênio é um gás solúvel na água, incolor, insípido, altamente oxidante e não inflamável cuja presença foi descoberta por Lavoisier há mais de 200 anos. Com a segunda onda da Covid-19, a falta de oxigênio tem matado muita gente, principalmente, em Manaus. Mas afinal que tipo de oxigênio as pessoas precisam para superar os problemas causados da Covid-19 nos pulmões das pessoas?

Leia também

O que fazer com as mascaras usadas para o Covid?

A chuva, o Covid e a criminalidade

As sacolas reutilizáveis de compras e o Covid19

No comércio é possível encontrar dois tipos de cilindros: um preto e outro verde. O oxigênio do cilindro preto é recomendado para ser usado em soldas ou cortes de peças metálicas, sua pureza é relativamente baixa quando comparada com o oxigênio contido em cilindros verdes. No caso dos cilindros verdes, o oxigênio contido nele é considerado terapêutico, segundo a farmacopeia americana. Os cilindros verdes devem conter um oxigênio cuja pureza deve ser de no mínimo 99,5%.

Para obter o nível de pureza medicinal existem alguns métodos, sendo os principais os que liquefazem o oxigênio e aqueles que usam adsorventes. No primeiro processo, os concentradores de oxigênio primeiro liquefazem o ar em processo conhecido como criogênico. Esse processo constitui basicamente na filtragem, compressão e posterior resfriamento do ar atmosférico. À medida que o ar se resfria, a umidade e o dióxido de carbono são condensados sobre as paredes de um trocado de calor e o ar purificado passa através de duas colunas de destilação. Como as colunas são formadas por condensadores na forma de pratos, o oxigênio e o nitrogênio são liquefeitos e separados da umidade e do dióxido de carbono.

Um retificador, numa fase posterior, faz a separação do oxigênio do nitrogênio. Para isso, a diferença no ponto de ebulição entre os dois gases é usada. O nitrogênio possui um ponto de ebulição de 77,4 K e o oxigênio de 90,2 K. Em virtude dessa diferença os dois gases são facilmente separados no retificador.

No caso dos oxigênios usados em hospitais o processo usado é adsorção. Nesse caso, a purificação do oxigênio ocorre com o uso de adsorventes que retém o nitrogênio, dióxido e monóxido de carbono, deixando passar ao oxigênio e componentes como os gases nobres, principalmente o argônio. Dada a sua simplicidade, esse processo o oxigênio medicinal pode ser produzido no local em que será consumido. Nesse caso, o concentrador de oxigênio é formado basicamente por dois compartimentos idênticos. Os dois contêm um material adsorvente feitos de zeolitas. Nesse processo, utiliza-se como matéria prima um ar comprimido pré-tratado, composto de 78% de nitrogênio, 21% de oxigênio, 0,9% de argônio e 0,1% outros gases.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *