Gás metano o poluente do aquecimento global

Boi fonte de metano

Gás metano o poluente do aquecimento global, como assim? Então, quero mostrar para você que cortar as emissões de metano (CH4) é uma oportunidade mais rápida que temos para diminuir imediatamente a taxa de aquecimento global.

Nossa afirmação se baseia, sobretudo, no fato de que o metano tem mais de 80 vezes o poder de aquecimento global do que o dióxido de carbono (CO2). Em princípio, a diferença entre os dois gases poluentes sobre o aquecimento global é:

  • Metano efeito imediato
  • Dióxido de carbono efeito mais a longo prazo.
Poluição do ar
Poluição do ar está acabando com a qualidade de vida e aumentando o aquecimento global

Aquecimento global causas

Então aqui no blog do ClubedaQuímica temos uma série de post tratando justamente dos efeitos do aquecimento global causados, principalmente, pelo CO2. Você deve acessar estes posts abaixo para você saber mais sobre como o CO2 causa o aquecimento global em nosso planeta

Quais são as consequências do aquecimento global?

Nos últimos tempos podemos observar vários efeitos do aquecimento global. Assim, em praticamente todas as partes do mundo já estamos vendo esses efeitos, por exemplo desastre ambientais entre outros.

Assim, nós do ClubedaQuímica também publicamos uma série de post mostrando alguns desse efeitos. Então, aqui estamos colocando alguns para você acessar é ter mais conhecimento as consequências do aquecimento global. Acesse ai para saber mais:

Afinal de contas o que é o gás metano?

O CH4 é um gás incolor e inodoro com fusão ponto de 183 oC e um ponto de ebulição de 164 oC. Devido a sua ignição propriedades e alto poder calorífico, é usado principalmente como combustível para aquecimento e geração de eletricidade em todo o mundo. Comparado com carvão, o CH4 tem várias vantagens, como maior poder calorífico bem como substâncias menos tóxicas e perigosas após a combustão. Dessa forma, como combustível o CH4 é um importante recurso natural para a redução da quantidade de CO2 na atmosfera

gás metano
Metano

Por outro lado, o CH4 é altamente inflamável, de modo que o monitoramento do CH4 para considerações de segurança torna-se extremamente importante. Por exemplo, o CH4 ao liberado durante extrações de carvão pode causar explosões tanto no subsolo quanto na superfície minas. Então, ao atingir uma concentração de 5 a 15% em um ambiente fechado, o CH4 torna-se perigosamente explosivo.

Quais são as consequências do metano no meio ambiente

No entanto, existem consequências significativas relacionadas à liberação do CH4 para o meio ambiente. Em primeiro lugar, CH4 é o segundo gás mais importante que causa o efeito estufa no planeta. Em segundo lugar, as emissões indesejáveis de CH4 na atmosfera resultaram em um aumento de 34 vezes no aquecimento global nos últimos 100 anos.

Os setores de agricultura, energia, águas residuais e resíduos sólidos respondem por ~ 60% das emissões antrópicas globais de CH4. Entre 20% e 25% de todo o CH4 presente na atmosfera é de origem agropecuária e, por outro lado, uma quantia parecida vem dos combustíveis fósseis, por exemplo, gás natural e petróleo. Além disso, quase 9% dessas emissões ocorrem durante a coleta, tratamento e descarte de águas residuais. Só para se ter uma ideia, um grama de demanda química de oxigênio solúvel removido por uma estação de tratamento de águas residuais contém ~ 0,35 L de CH4.

Agricultura, energia, águas residuais e resíduos sólidos respondem por  60% das emissões  de CH4.

Após a liberação para a atmosfera, o CH4 se torna uma significativa preocupação ambiental segundo a Organização Mundial de Saúde. Isso, em parte é devido ao fato da permanência do CH4 na atmosfera. Então, ele leva aproximadamente 12 anos até que seja esgotado por produtos químicos na atmosfera. Em princípio, a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA), em 2017, afirma que o CH4 foi responsável por cerca de 10,2% de todos Emissões de gases de efeito estufa nos EUA.

Dessa forma, o acordo com a Avaliação Global de Metano do PNUMA-CCAC publicado mais recentemente, prevê reduções líquidas consideráveis ou até mesmo nulas CH4. De acordo com o PNUMA ao reduzir a quantidade de CH4 teremos uma redução de aproximadamente de 0,28 °C da temperatura média do planeta até 2050. Então, essa seria uma redução importante, já que o mundo que atingir uma meta de redução da temperatura em 1,5 °C.

Metano e a vaca
Gás metano é hoje um dos grandes vilões causadores do efeito estufa (Foto: Shutterstock)

Quais são os obstáculos para a redução do metano

Existem três categorias principais de obstáculos que servem para limitar a adoção de medidas de mitigação:

  • A falta de informações completas sobre o problema,
  • Infraestrutura inadequada ou mercados locais subdesenvolvidos/saturados 
  • Incentivos de investimento desalinhados

O aumento das emissões de metano

Segundo os pesquisadores houve um aumento das emissões de metano da seguinte forma:

  • 60% provêm de atividades humanas
  • 40% de fontes naturais, por exemplo, áreas úmidas; lagos; rios; animais.

A distribuição das emissões humanas está distribuída da seguinte forma: 

  • Cerca de 30% são atividades antrópicas, principalmente da agricultura
  • 22% devido a vazamentos durante a extração de petróleo e gás natural (destaca-se o gás xisto)
  • 8% são provenientes da queima de biomassa e consumo de biocombustível

A maior parte das emissões de metano vem de zonas tropicais devido à agricultura e emissões naturais de florestas e áreas úmidas. Destacam-se: América Latina; África; Sudeste Asiático; Oceania. Essas regiões respondem por aproximadamente  64% da produção de CH4. O restante é emitido pelos países temperados e mais desenvolvidos.

No caso da China, Índia e América do Norte, o aumento se deve principalmente aos Estados Unidos, que se tornaram há 10 anos exportadores de petróleo e gás extraído dos depósitos de xisto. Epa! A boa surpresa, no momento, vem da Europa. Ela reduziu suas emissões em cerca de 4 milhões de toneladas por ano. Então, a Europa fez isso com políticas públicas de resíduos e gerenciamento de efluentes agrícolas.

Fonte: Estúdio de Visualização Científica da NASA

 Fonte

 Hong, T. et. al State-of-art of methane sensing materiais: A review and perspectives. Trends in Analytical Chemistry

Jawaharraj, K. et al. Valorization of methane from environmental engineering applications: A critical review. Water Research

Environmental Defende Fund

IEA

ONU

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.