Lixo um problema de ordem mundial

Resíduo sólido urbano

Então, por definição resíduo sólido urbano (RSU) é tudo aquilo que chamamos de lixo; ou seja,  é qualquer matéria sólida ou semissólida produzida pelo homem e pela natureza. A princípio, nós seres humanos produzimos RSU em todo o momento durante o dia e a vida inteira. Dessa forma, ao nosso redor tem RSU que você ver em nossas latas de lixo, nossos quintais, nossas ruas, enfim nossas cidades.

Bom, no post “O volume de resíduos pode aumentar em 70% no mundo até 2050” nós mostramos para você que a quantidade RSU aumenta muito rápido no mundo todo. O que fazer numa situação dessa? Essa é uma questão muito difícil de responder. Porque não é uma solução simples e que depende de uma série de variáveis. Por exemplo, do poder público e da iniciativa privada com soluções que reduzam a quantidade RSU nas nossas cidades. 

Como é a situação do RSU no Brasil

No Brasil, a média de RSU gerada é de 1,06 kg/pessoa/dia, mas varia de acordo com a região e cidade. Por exemplo em Manaus, a geração de RSU é de 1,3 kg/habitante/dia; cerca de 70% vai para lixão ou aterros. Apesar de vários esforços das entidades públicas, a coleta seletiva ainda é incipiente em abrangência. Ou seja, cerca de 41% dos municípios brasileiros tem apenas 10% de RSU sendo reciclado. 

Quais são os tipos de RSU

O Plano Nacional brasileiro de Resíduos Sólidos propõe uma para agrupar os resíduos sólidos conforme:

  • Sólidos Urbanos: divididos em materiais recicláveis (metais, aço, papel, plástico, vidro etc.) e matéria orgânica.
  • Da Construção Civil: gerados nas construções, reformas, reparos e demolições, bem como na preparação de terrenos para obras.
  • Com Logística Reversa Obrigatória: pilhas e baterias; pneus; lâmpadas fluorescentes de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista; óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens; produtos eletroeletrônicos e seus componentes; entre outros a serem incluídos.
  • Industriais: gerados nos processos produtivos e instalações industriais; grande parte são resíduos de alta periculosidade.
  • Do Transporte Aéreo e Aquaviário: gerados pelos serviços de transportes, de naturezas diversas, como ferragens, resíduos de cozinha, material de escritório, lâmpadas, pilhas etc.
  • Do Transporte Rodoviário e Ferroviário: gerados pelos serviços de transportes, acrescidos de resíduos sépticos que podem conter organismos patogênicos.
  • De Serviços de Saúde: gerados em qualquer serviço de saúde
  • De Mineração: gerados em qualquer atividade de mineração
  • Agrossilvopastoris (orgânicos e inorgânicos): dejetos da criação de animais; resíduos associados a culturas da agroindústria, bem como da silvicultura; embalagens de agrotóxicos, fertilizantes e insumos.

Quais são as soluções para os RSU

Como você perceber na lista acima em todos os tipos de RSU é possível implementar um processo de reciclagem ou upcycling. Como assim? Os metais, por exemplo, podem ser fundidos e recuperados; o tecido pode ser usado para fazer novas roupas, o vidro refundido e, assim, por diante. 

Então, para você ter julgamento melhor nós do Clube da Química publicamos artigos sempre que podemos sobre a reciclagem e upcycling. Nesse sentido, nós convidamos você a descobrir mais sobre esse assunto que nos atormenta. Lembre-se que a futuras gerações depende de nossas ações agora para tornar nosso planeta melhor. Assim, ai vai os post

Convite

Então, gostou? Bom, então comente e visite nossas redes sociais:

Instagram

Facebook

Twitter  e

Linkedin 

Fonte

Asta

Potencial econômico de plásticos recicláveis na cidade de Manaus (AM) Antonio Claudio Kieling, Genilson Pereira Santana, Maria Cristina dos Santos, Camila Stephanie Santos da Silva, Chaenny Letícia da Silva Amorim, Joyce Rodrigues Pontes. Scientia Amazonia, 2019

Materiais Junior

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.