O que significa reciclagem e o que é upcycling

Tijolo de plástico

Desde o surgimento do primeiro polímero sintético em 1907, os plásticos se destacam em toda a sociedade moderna. Hoje em dia, os materiais à base de plásticos tornaram-se onipresentes e indispensáveis na sociedade moderna. Por outro lado, o tratamento de resíduos plásticos viraram-se um grande problema porque projeta-se os plásticos para serem robustos e duráveis.

Infelizmente, a poluição plástica global ganhou grandes proporções antes que as pessoas começassem a perceber sua enormidade, complexidade e urgência. Resíduos de plástico são onipresentes e, cada vez mais, fazem parte de  oceanos, lagos, rios, solos, sedimentos, atmosfera e biomassa animal.

Tipos de poluição plástica

  • Poluição microplástica: são resíduos plásticos com tamanho médio ≤5 mm. Em princípio, os microplásticos são um dos principais poluentes dos oceanos.
  • Poluição nanoplástica: origina-se, sobretudo, de resíduos plásticos ≤100 nm provenientes a emissão direta de “microesferas” e “micro-esfoliantes” (microplásticos primários). Dessa forma, eles estão presentes em produtos cosméticos domésticos. Por conseguinte, a poluição nanoplástica tem como fonte os resíduos plásticos maiores em pequenos pedaços plásticos (microplásticos secundários). Além disso, a irradiação solar, trituração física e biodegradação no ambiente natural são outra fonte de nanoplásticos.

Infelizmente, os micros e nanoplásticos já fazem parte da cadeia alimentar humana, inseridos em frutos do mar, chá, e vegetais etc. Embora, o efeito toxicológico direto dos plásticos na saúde humana ainda não tenha sido comprovado, os micros e nanopláticos são veículos de transmissão de uma serie de doenças, por exemplo, diarreia,

As emissões globais de gases de efeito estufa relacionadas ao ciclo de vida do plástico devem aumentar a quantidade dióxido de carbono (CO2) na atmosfera. Espera-se um aumento de 1,7 giga tonelada de dióxido de carbono em 2015 para 6,5 giga tonelada em 2050, o que contribui significativamente para as mudanças climáticas.

Leia também

Qual a contribuição upcycling dos químicos para resolver o problema do plástico?

Como reduzir a quantidade plástico no mundo

Downcycling – Upcycling e a Química

O plástico está no fim?

 

Apesar de enfrentar diversos desafios, já existem várias tecnologias de reciclagem para lidar os resíduos plásticos. Em princípios, podemos dividi-las em 

  • Reciclagem primária (circuito fechado): É o processamento de plástico descartado para fazer produtos frescos que são devolvidos nas mesmas aplicações ou em aplicações de qualidade semelhante. Só podemos usar esse processo quando a origem do plástico é conhecida.
  • Reciclagem secundária (mecânica), também denominada de “downgrade” ou “downcycling: refere-se ao reprocessamento mecânico de resíduos plásticos em produtos para usos diferentes do material inicial. Atualmente, a reciclagem mecânica só é utilizada comercialmente sobretudo para a recuperação de PET e PE. 
  • Reciclagem terciária (química): refere-se à reciclagem de plásticos usando reações químicas, por exemplo, pirólise, gaseificação e despolimerização. A pirólise (ou termólise, craqueamento térmico, craqueamento catalítico e liquefação) converte plásticos em gases, líquidos e ceras sob altas temperaturas, seja com o sem uso de catalisador (pirólise catalítica). A gaseificação produz materiais gasosos de baixo peso molecular sob altas temperaturas com um agente de gaseificação (ar ou oxigênio). A despolimerização refere-se à conversão dos polímeros em monômeros ou oligômeros bem definidos por meio da ruptura de certas ligações químicas.
  • Incineração: É um processo que visa recuperar, sobretudo, a energia contida nos plásticos na forma de calor. Então, nesse processo utiliza-se resíduos mistos sem a necessidade de separação. Considera-se, em princípio, a incineração desfavorável por causa da perda de energia em relação à reciclagem, além de emitir quantidades consideráveis de dióxido de carbono.

Para superar o defeito inerente às estratégias convencionais acima, desenvolveu-se o upcycling, que enfatiza a exploração de um valor inerente aos resíduos plásticos como uma opção complementar e mais atraente. Até recentemente, não havia uma definição precisa do conceito de “upcycling”.

Reciclagem-upcycling

Qual a diferença entre reciclagem e upcycling

Reciclagem: enfatiza, sobretudo, o “ciclo fechado” cujo processo de conversão trabalha para evitar desperdícios dos plásticos,. Dessa forma, evita-se a destinação dos resíduos plásticos para aterros sanitários.

Upcycling: é um processo de ciclo aberto para múltiplos fluxos de lucro, impulsionando resíduos plásticos a voltarem à cadeia de abastecimento de plásticos; ou seja,  o polimero tem uma valorização maior do que produto inicial.

Esquema Upcycling
Esquema da tendência de upcycling no futuro

Tanto a reciclagem quanto a upcycling não podem ainda lidar com resíduos plásticos não recuperáveis. Dessa forma,  utiliza-se os resíduos plásticos nas condições econômicas e técnicas atuais, como fragmentos de plástico misturados com iodo e detritos plásticos dispersos no ambiente natural.

Fonte:

Cell Reports Physical Science

Ecycle

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.