O princípio de conservação das massas

Os antigos gregos propuseram pela primeira vez a ideia de que a quantidade total de matéria no universo é constante. No entanto, Antoine Lavoisier descreveu a lei da conservação da massa (ou o princípio da conservação da massa/matéria) como um princípio fundamental da física.

Leia também

Estequiometria: a interpretação molar

As reações químicas e como podemos reconhecê-las

A ordem dos fatores na química

Para apresentar a lei da conservação da massa, Lavoisier publica os seus resultados no Traité Élémentaire de Chimie, em 1789. Ele apresentou suas descobertas e seu raciocínio de uma lógica clara, fato que deu uma força irresistível a sua visão moderna.

Deve ser destacado que Lavoisier para chegar as suas conclusões usou instrumentos extremamente sensíveis, além de aperfeiçoar a arte de medir quantidades de reagentes e produtos, sejam sólidos, gasosos ou líquidos. Nesse princípio que se funda toda a arte de fazer experimentos em química garantindo uma verdadeira igualdade dos reagentes e produtos envolvidos numa reação química.

Em suma a lei da conservação da massa afirma tem como princípio que apesar de ocorrer as reações químicas ou transformações físicas, a massa é conservada – ou seja, não pode ser criada ou destruída – dentro de um sistema isolado. Em outras palavras, em uma reação química, a massa dos produtos sempre será igual à massa dos reagentes.

Muito embora, a lei da conservação da massa foi posteriormente alterada por Einstein na lei da conservação da massa-energia, que descreve o fato de que a massa total e a energia em um sistema permanecem constantes. Esta alteração incorpora o fato de que massa e energia podem ser convertidas uma na outra. No entanto, a lei da conservação da massa continua sendo um conceito útil em química, uma vez que a energia produzida ou consumida em uma reação química típica é responsável por uma quantidade diminuta de massa.

Podemos, portanto, visualizar as reações químicas como o rearranjo de átomos e ligações, enquanto o número de átomos envolvidos em uma reação permanece inalterado. Essa suposição nos permite representar uma reação química como uma equação balanceada, na qual o número de moles de qualquer elemento envolvido é o mesmo em ambos os lados da equação. Uma aplicação útil adicional desta lei é a determinação das massas de reagentes e produtos gasosos. Se as somas dos reagentes e produtos sólidos ou líquidos forem conhecidas, qualquer massa restante pode ser atribuída ao gás.

Apesar de sua grande contribuição para o avanço da Química, Lavoisier não era infalível. Um elemento central de seu novo sistema era um princípio hipotético de calor, que ele chamou de “o calórico”. Embora seja “imponderável” (uma substância indetectável e sem massa), o calórico deveria se comportar como um líquido ou um gás. Lavoisier afirmou então que o oxigênio gasoso era na verdade composto de oxigênio e calórico, este último justificando a fase gasosa. Era um beco sem saída, como o flogisto e, de muitas maneiras, um novo avatar do fogo elemental.

Fontes: Lumen, Futura Science, Wikimedia Commons