O que é, quais tipos existem de resíduos sólidos

Resíduo sólido urbano

Resíduo sólido é tudo aquilo que geralmente chamamos de lixo, mas tecnicamente é qualquer matéria sólida ou semissólida produzida pelo homem e pela natureza. Nós seres humanos produzimos resíduos sólidos em todo o momento durante o dia e a vida inteira. O nosso redor é cercado por resíduo urbano, basta ver nossas latas de lixo, nossos quintais, nossas ruas, enfim nossas cidades.

Com a explosão demográfica em várias partes do mundo, a humanidade adotou diversas formas para solucionar o problema dos resíduos sólidos urbanos. Em praticamente todas as cidades grandes em desenvolvimento ou desenvolvidas do mundo destina os seus resíduos sólidos em aterros sanitários. Embora nem sempre a destinação dos resíduos sólidos urbanos seja sempre os aterros sanitários. Veja os posts abaixo:

 

No Brasil, a média de resíduo sólido urbano gerada é de 1,06 kg/pessoa/dia, mas varia de acordo com a região e cidade. Por exemplo em Manaus, a geração de RSU é de 1,3 kg/habitante/dia; cerca de 70% são despejados em lixão ou aterros. Apesar de vários esforços das entidades públicas, a coleta seletiva ainda é incipiente em abrangência, ocorrendo em cerca de 41% dos municípios brasileiros tendo apenas 10% do que é potencialmente reciclável recolhido. Embora, haja a Lei no 12.305/2010 define a Política Nacional de Resíduos Sólidos e educação ambiental, enfatizando aspectos como a gestão integrada dos resíduos sólidos e a responsabilidade compartilhada entre governos e sociedade, não está sendo suficiente para modificar comportamentos e práticas culturalmente enraizadas na população.

Certamente, o manejo e gerenciamento dos resíduos sólidos urbanos, não se constrói apenas com a homologação de leis. Verifica-se que, para se alcançar a etapa do envolvimento popular efetivo, é necessária a implementação de políticas públicas de educação ambiental, focando na separação e descarte adequado dos resíduos sólidos urbanos na fonte geradora.

 

Com a criação da Lei nº 12.305/2010, a PNRS (Política Nacional de Resíduos Sólidos) tem alguns objetivos, como:

  • Gestão Integrada de Resíduos Sólidos;

  • Estímulo à adoção de padrões sustentáveis de produção e consumo de bens e serviços;

  • Articulação entre Poder Público, Privado e a Comunidade.

 

Os tipos de resíduos sólidos

O Plano Nacional brasileiro de Resíduos Sólidos propõe uma para agrupar os resíduos sólidos conforme:

Resíduos Sólidos Urbanos: divididos em materiais recicláveis (metais, aço, papel, plástico, vidro etc.) e matéria orgânica.

Resíduos da Construção Civil: gerados nas construções, reformas, reparos e demolições, bem como na preparação de terrenos para obras.

Resíduos com Logística Reversa Obrigatória: pilhas e baterias; pneus; lâmpadas fluorescentes de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista; óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens; produtos eletroeletrônicos e seus componentes; entre outros a serem incluídos.

Resíduos Industriais: gerados nos processos produtivos e instalações industriais; normalmente, grande parte são resíduos de alta periculosidade.

Resíduos Sólidos do Transporte Aéreo e Aquaviário: gerados pelos serviços de transportes, de naturezas diversas, como ferragens, resíduos de cozinha, material de escritório, lâmpadas, pilhas etc.

Resíduos Sólidos do Transporte Rodoviário e Ferroviário: gerados pelos serviços de transportes, acrescidos de resíduos sépticos que podem conter organismos patogênicos.

Resíduos de Serviços de Saúde: gerados em qualquer serviço de saúde

Resíduos Sólidos de Mineração: gerados em qualquer atividade de mineração

Resíduos Sólidos Agrossilvopastoris (orgânicos e inorgânicos): dejetos da criação de animais; resíduos associados a culturas da agroindústria, bem como da silvicultura; embalagens de agrotóxicos, fertilizantes e insumos.

 

Prioridade de gestão dos resíduos sólidos

Antes do momento de decidir se o resíduo sólido urbano será devolvido para o mercado ou descartado, existem algumas etapas que devem ser tomadas como prioritárias, são elas: não geração, redução, reutilização, reciclagem e tratamento. Atualmente, as etapas de redução e de tratamento é que ocorre a valorização dos resíduos sólidos.

Na etapa de redução, deve ser estudado quais os métodos e estratégias que podem ser adotadas para reduzir a geração dos resíduos sólidos e isso pode ocorrer com ajustes no processo ou reinserção do resíduo na cadeia produtiva, por exemplo.

Na valorização dos resíduos, deve-se buscar a estrutura e a composição química a fim de encontrar possíveis usos alternativos para ele. Destaca-se que esse processo é realizado posteriormente à etapa de redução.

Leia também

Upcycling: lâmpadas feitas de garrafas plásticas

Projetando a morte de um plástico

A perspectiva do comércio de moléculas

Como os resíduos nucleares são armazenados

 

Fonte:

Asta

Potencial econômico de plásticos recicláveis na cidade de Manaus (AM) Antonio Claudio Kieling, Genilson Pereira Santana, Maria Cristina dos Santos, Camila Stephanie Santos da Silva, Chaenny Letícia da Silva Amorim, Joyce Rodrigues Pontes. Scientia Amazonia, 2019

Materiais Junior

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *