Tecnécio, história, ocorrência e usos como radiofármaco

Amostras de tecnécio

Tecnécio, um elemento químico de símbolo Tc e pertencente ao grupo 7 da tabela periódica. Seu nome deriva do grego “technikos” que significa algo artificial. Este elemento foi o primeiro a ser sintetizado em laboratório.

História do tecnécio

Químicos há muito tantalizados com tecnécio porque não foi encontrado. Agora sabemos que todos os seus isótopos são radioativos e quaisquer depósitos minerais do elemento há muito desapareceram da crosta terrestre. O isótopo de vida mais longa tem meia-vida de 4 milhões de anos. Mesmo assim, alguns átomos de tecnécio são produzidos quando o urânio sofre fissão nuclear e há cerca de 1 miligrama de tecnécio em uma tonelada de urânio. Afirmações na década de 1920 de ter encontrado esse elemento, ou pelo menos de ter observado seu espectro, não podem ser totalmente desconsideradas.

O tecnécio foi descoberto por Emilio Segrè em 1937 na Itália. Ele investigou o molibdênio da Califórnia que havia sido exposto a radiação de alta energia e descobriu que o tecnécio estava presente e o separou. Hoje, esse elemento é extraído de barras de combustível nuclear usadas em quantidades de toneladas.

Leia também

O césio radioativo de Fukushima nas florestas

Cúrio é um elemento radioativo artificial

Samário, história, ocorrência, isótopos e aplicações

Rutherfórdio, síntese, história e isótopos

O polônio, a radiotividade, cigarro e câncer

Isótopos de tecnécio

Tecnécio é um dos dois elementos nos primeiros 82 que não têm isótopos estáveis (na verdade, é o elemento de menor número que é exclusivamente radioativo); o outro elemento é o promécio. Os radioisótopos mais estáveis são 98Tc (meia-vida de 4,2 anos), 97Tc (meia-vida: 2,6 ANOS) e 99Tc (meia-vida: 213000 ANOS).

Vinte e dois outros radioisótopos foram caracterizados, sendo que a maioria deles tem meia-vida inferior a uma hora, as exceções são 93Tc (meia-vida: 2,75 horas), 94Tc (meia-vida: 4,883 horas), 95Tc (meia-vida: 20 horas) e 96Tc (meia-vida: 4,28 dias).

O tecnécio também possui vários metaestados sendo 97mTc o mais estável, com meia-vida de 90,1 dias, seguido por 95mTc (meia-vida: 61 dias) e 99mTc (meia-vida: 6,01 horas).

Aplicações do tecnécio

O isótopo mais útil do tecnécio é o 99mTC: ele tem meia-vida curta e se liga quimicamente a muitas moléculas biologicamente ativas, essas propriedades o tornam adequado para muitos testes médicos de isótopos radioativos.

Quando o 99mTc é combinado com um composto de estanho, ele se liga aos glóbulos vermelhos e pode, portanto, ser usado para mapear distúrbios do sistema circulatório. Um íon pirofosfato com 99mTc adere aos depósitos de cálcio no músculo cardíaco danificado, tornando-o útil para avaliar os danos após um ataque cardíaco. O colóide de enxofre do 99mTc é eliminado pelo baço, tornando possível a imagem da estrutura desse órgão.

Como o rênio e o paládio, o tecnécio pode servir como um catalisador. Para certas reações, por exemplo a desidrogenação do álcool isopropílico, é um catalisador muito mais eficaz do que o rênio ou o paládio.Claro, sua radioatividade é um grande problema para encontrar aplicações seguras.

O 99Tc também foi proposto para uso em baterias nucleares optolétricas.

Tecnécio e os exames radiofármacos

Os radiofármacos de 99mTc se tornaram, nos últimos 30 anos, importantes ferramentas para o diagnóstico de várias doenças ou disfunções de órgãos e sistemas que compõem o corpo humano. Atualmente, existem aproximadamente 30 desses compostos sendo utilizados em medicina nuclear, gerando um volume de exames correspondente a 80% da rotina clínica de um serviço de medicina nuclear.

O 99mTc é produto do decaimento radioativo do molibdênio-99. Cerca de 87,5% dos átomos de 99Mo de uma amostra desintegram-se por emissão de radiação β– e originam núcleos de 99mTc que, por sua vez, desintegram-se por emissão de radiação gama para originar o 99Tc, o qual se desintegra a 99Ru (estável), como mostra na figura. Dessa forma, 99Mo é chamado de elemento “pai” e 99mTc de elemento “filho”. 99Mo e 99mTc formam um par radioativo em equilíbrio transiente, já que o tempo de meia-vida físico do pai é cerca de dez vezes maior que o do filho. Esse equilíbrio possibilita a fabricação do sistema gerador de radionuclídeo de 99Mo-99mTc.

Geração de radiofármaco de tecnécio
Esquema básico para geração de radiofármaco de tecnécio. Fonte: Radiologia Brasileira

Fonte

Royal Society of Chemistry

Infoescola

Lenntech

Wikidoc

Webelements

Química Nova Interativa

Radiologia Brasileira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *