Álcool etílico está conosco desde a antiguidade

Vinho

Grãos fermentados, suco de frutas e mel vêm sendo utilizados durante milhares de anos para fazer álcool (álcool etílico ou etanol). Hoje, você álcool e álcoois etílicos e você não pode confundi-los se não poderá usá-los de forma errada. 

Vamos lá.  A diferença entre o álcool da bebida, o que move os carros e o que é adequado para higienização das mãos está no percentual de concentração do álcool e nas substâncias presentes nas versões em gel e combustível, que as inviabilizam para consumo humano. Enquanto, uma cerveja tem em torno de 5% de álcool, o álcool gel, que combate os vírus para proteger a população contra a doença COVID-19, tem 70%. Já o combustível tem 94%

Um pouco de história do álcool etílico

Bom, o homem conhece o álcool etílico desde a antiguidade. Por exemplo, bebidas fermentadas está na humanidade desde o despertar da civilização egípcia. Além disso, existem evidência da primeira bebida alcoólica na China por volta do ano 7000 a.C. Por outro lado, na Índia, uma bebida alcoólica chamada Sura, destilada do arroz, era utilizada entre os anos 3000 e 2000 a.C.

Por outro lado os babilônios veneravam uma deusa do vinho no ano 2700 a.C. E na Grécia, uma das primeiras bebidas alcoólicas que ganhou popularidade foi o hidromel, uma bebida fermentada feita de mel e água.

Então, o álcool faz parte da vida do homem há muito tempo.

Fórmula do álcool etílico

Então, a fórmula do álcool etílico é CH3CH2OH ou C2H6O.  Além disso, sua fórmula molecular é

Estrutura álcool etílico

O uso do álcool etílico como combustível

Bom, no Brasil, o álcool etílico mais conhecido como etanol surgiu na década de 80 como a esperança de autossutentabilidade brasileira de combustível.  Então, ao longo dos anos o etanol teve para desaparecer como combustível, mas com o aumento dos gases do aquecimento global ele ressurgiu como opção sustentável.

Dessa forma, hoje o etanol tem o seu lugar como combustível de carro com a vantagem de ser um combustível renovável. Por ser uma molécula muito menor que os constituinte da gasolina, considera-se o etanol um biocombustível que reduz os efeitos do aquecimento global.

Embora, existem diversos cereais  por exemplo milho e beterraba, o etanol aqui no Brasil vem da fermentação da cana-de-açúcar. Então, para cada tonelada de cana de açúcar conseguimos aqui no Brasil produzir 70 litros de etanol.

Álcool etílico como bebida

Acredita-se que a bebida alcoólica teve origem na Pré-História, principalmente no período Neolítico quando houve a aparição da agricultura e a invenção da cerâmica. Em princípio, a partir de um processo de fermentação natural ocorrido há aproximadamente 10.000 anos o ser humano passou a consumir o álcool.

Hoje, as bebidas alcoólicas possuem várias quantidades de álcool etílico. Mas, a fermentação é a mesma. Ou seja, utilizam-se  leveduras para transformar açúcar de cereais e frutas em álcool e dióxido de carbono (CO2):

C6H12O6 (açúcar) → 2C2H5OH (álcool) + 2CO2 (dióxido de carbono)

Como podem ser divididas as bebidas alcoólicas?

Então, você pode dividir as bebidas alcoólicas em destiladas e não destiladas. Bom, vamos ver cada uma delas. Vamos lá

  • Destiladas: Depois de fermentada, destila-se a bebida alcoólica e recolhe-se o vapor. Bom, dependendo do tipo de bebida, repete-se a destilação para aumentar a concentração de álcool na bebida. Em princípio, temos nessa classe de bebida destaca-se a cachaça que é feita de cana de açúcar com teores alcoólicos entre 38o e 45o e o whisky que usa cereais, por exemplo cevada e milho e teor alcoólico de 42o a 48o GL. 
  • Não destiladas: São bebidas alcoólicas que não são destiladas e diferenciam-se das destiladas por ter teores alcoólicos relativamente mais baixos (máximo de 15o GL (15% de álcool). Uma característica das bebidas alcoólicas não destiladas são os sabores e cheiros que dependem do tipo de matéria-prima e aditivos utilizados na fermentação. Exemplos de bebidas não destiladas são: i) vinhos e a cerveja.

Álcool etílico na área da saúde

Em tempo de pandemia de Covid-19, o álcool 70% ganhou destaque mundial para a prevenção da doença. O álcool etílico à 70% possui ação contra bactérias na forma vegetativa, vírus, microbactérias e fungos. Em princípio, o álcool tem um mecanismo de ação germicida baseado na desnaturação de proteínas dos microrganismos. 

Por causa dessa capacidade, recomenda-se o álcool 70% como desinfetantes e antissépticos. Por outro lado, como ele não têm ação contra bactérias e nem contra vírus não se recomenda usá-lo como esterilizantes químicos.

Então, para funcionar como ação germicida, você tem que diluir em água destilada o álcool etílico para que tenha uma concentração de 70% peso/peso ou volume/volume.  

Descubra mais nos post abaixo

O que o álcool causa ao corpo

As duas gerações do álcool combústivel

Qual é o perigo do álcool em gel

Fontes:

Wikipédia

Manual da Química

Mundo sem drogas

PEBMED

Portal Saúde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.