O efeito do sabão nos vírus

Por que o sabão funciona tão bem no Covid-19 e na maioria dos vírus? Para entender o efeito do sabão devemos entender que o vírus é uma nanopartícula automontada cujo elo mais fraco é sua bicamada lipídica (gordurosa). Ao entrar em contato com o sabão dissolve a membrana adiposa do vírus desfazendo-o como um baralho de carta.

Mérito: Folha Piaui

Leia também

As sacolas reutilizáveis de compras e o Covid19

O parasitário Nitazoxanida contra o Covid que arma é essa?

A Zika, as algas e a microcefalia

Na verdade, os vírus consistem em três elementos fundamentais: ácido ribonucleico (RNA), proteínas e lipídios. Uma célula infectada por vírus produz muitos desses componentes, que se montam espontaneamente para formar o vírus. Criticamente, não há fortes ligações químicas, por exemplo covalentes, que mantêm essas unidades unidas. Isso significa que você não precisa necessariamente de produtos químicos para separar essas unidades. Quando uma célula infectada morre, todos esses novos vírus escapam e infectam outras células. Alguns acabam também nas vias aéreas dos pulmões.

Quando você tosse, ou especialmente quando espirra, pequenas gotículas das vias aéreas podem voar até 10 metros. Pensa-se que os maiores são os principais portadores de coronavírus e podem percorrer pelo menos dois metros. Essas gotículas terminam em superfícies e, geralmente, secam rapidamente, mas os vírus permanecem ativos. A pele humana é uma superfície ideal para um vírus, poies é formada por proteínas e ácidos graxos principalmente nas células mortas. Essa superfície interage com o vírus preservando-o vivo.

Quando você toca, digamos, em uma superfície de aço com uma partícula de vírus, ela gruda na pele e, portanto, é transferida para as mãos. Se você tocar em seu rosto, especialmente nos olhos, narinas ou boca, poderá ser infectado. A possibilidade de acontecer é muito alta, pois a maioria das pessoas tocam no rosto pelo uma vez a cada dois a cinco minutos.

Ao lavar as mãos com sabão devido as suas propriedades físicas química ocorre uma destruição da camada lipídica da membrana do vírus. O sabão não apenas libera fixado na pele, mas também aderem as proteínas, lipídios e RNA dos vírus impedindo sua contaminação no corpo humano.

Os produtos à base de álcool, que praticamente incluem todos os produtos “desinfetantes”, contêm uma solução alcoólica de alta porcentagem (geralmente 60 a 80% de etanol), matam os vírus de maneira semelhante ao sabão. Todavia, o sabão é melhor porque você só precisa de uma quantidade bastante pequena de água. Considerando que você precisa literalmente absorver o vírus em etanol por um breve momento, e esfregar ou esfregar um gel nas mãos não garante que você absorva todos os cantos da pele com eficácia.

Portanto, o sabão é o melhor, mas use um desinfetante à base de álcool quando o sabão não for prático ou prático.

Fonte: The Guardian

Piaui Folha