Qual a diferença dos óleos ômega 3, 6 e 9

ômega 3, 6 e 9

Os ômega 3 e 6 são tipos de gorduras boas, presentes em peixes como salmão, sardinha ou atum e frutos secos como nozes, amêndoas ou castanha de caju, por exemplo. São muito importantes para melhorar o sistema imune, diminuir o colesterol e triglicerídeos e aumentar a capacidade de aprendizagem e memória.

ômega 3 6 9

Já os ômega 9, não são essenciais porque são produzidos pelo corpo, mas é a boa relação entre esse três tipos de gordura garante que o organismo se mantenha saudável, prevenindo doenças como câncer, Alzheimer ou depressão, por exemplo. Para manter níveis adequados de ômegas 3, 6 e 9 e os seus benefícios para a saúde, a suplementação pode ser uma boa opção, especialmente para quem não come peixe pelo menos duas vezes por semana ou no caso de vegetarianos.

Benefícios dos ômegas

O que são as gorduras ômega?

São tipos de gorduras insaturadas que, quando consumidas de forma equilibrada, trazem benefícios à saúde. Os ômegas 3 e 6 são dois grandes grupos das gorduras poli-insaturadas, enquanto o ômega 9 (também chamado de ácido oleico) é o ácido graxo mono-insaturado mais comum encontrado na natureza.

A diferença na nomenclatura deve-se a sua composição química: enquanto as gorduras mono têm apenas uma ligação dupla entre carbonos, as poli insaturadas têm duas ou mais ligações duplas entre carbonos nas cadeias que as compõem.

No caso do ômega 3, ele se divide em alguns tipos:

  • DHA (ácido docosahexaenoico): encontrado principalmente nos peixes de águas gelada como sardinha, atum, salmão, arenque;
  • EPA (ácido eicosapentaenoico): contido nos peixes em geral;
  • ALA (ácido alfa-linolênico): gordura de fonte vegetal encontrada na linhaça, chia e oleaginosas (castanhas), além de algas. Embora esta variedade possa ser convertida nos dois primeiros, o mais indicado é obter o DHA e o EPA de suas fontes

Já o ômega 6 é dividido em:

Ácido linoleico: encontrado principalmente em óleos vegetais (de girassol, milho, soja), nozes e castanha-do-pará;

  • Ácido araquidônico: obtido a partir da conversão do ácido linoleico.
  • Por fim, o ômega 9 está presente principalmente no azeite. O lipídio contribui para o aumento da absorção de vitaminas A, D, E e K no corpo, e pode também ser convertido pelo próprio organismo a partir da ingestão dos ômegas 3 e 6.

Fonte:

Tua Saúde

Viva Bem

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *