O elemento paládio, fatos, história e joias

O elemento paládio, fatos, história e joias e um artigo que trata de um elemento muito usado atualmente como joia. Então vamos começar falando um pouquinho do grupo deste elemento. Dessa forma, Paládio, junto com ródio, rutênio, ósmio, irídio e platina formam um grupo de elementos conhecidos como metais do grupo da platina. Então, o paládio é um metal branco prateado brilhante. Possui estrutura cristalina cúbica centrada na face, em temperaturas normais é fortemente resistente à corrosão do ar e à ação de ácidos. Além disso, em contato com ácido quentes, ele se dissolve na água régia. Ele forma muitos compostos e vários sais complexos. O paládio tem uma grande capacidade de absorver hidrogênio (até 900 vezes seu próprio volume).

Ocorrência do paládio

Bom, o paládio nativo, embora raro, ocorre juntamente com platina e irídio na Colômbia, no Brasil, nos montes Urais e na África do Sul. Então, o paládio é um dos mais abundantes metais do grupo da platina. Dessa forma, estima-se que a abundância de paládio na crosta terrestre é em cerca de 1 a 10 partes por trilhão. Portanto, isso o torna um dos dez elementos mais raros na crosta terrestre. Geralmente, ele ocorre na forma nativa; ou seja, não combinado com nenhum outro elemento. O paládio é geralmente encontrado sobretudo com a platina e outros membros do grupo dos metais nobres. Além disso, a Rússia e a África do Sul produzem cerca de 93% do paládio extraído no mundo.

História do paládio

Já em 1700, os mineiros no Brasil conheciam um metal que chamavam de ouro podre; ou seja,  ‘ouro sem valor’, que é uma liga nativa de paládio e ouro. No entanto, não foi daí que extraiu-se o paládio pela primeira vez, mas da platina. Bom, William Wollaston conseguiu essa proeza em 1803. A princípio, ele notou que, quando dissolvia a platina comum em água régia (ácido nítrico + ácido clorídrico), nem toda ela era solubilizada.

Então, ele resolveu estudar um resíduo ficava no fundo da vidraria. Dessa forma, William Wollaston conseguiu extrair o paládio. Ele não anunciou sua descoberta, mas colocou o novo metal à venda como uma “nova prata”. Richard Chenevix comprou alguns, investigou e declarou ser uma liga de mercúrio e platina. Em fevereiro de 1805, Wollaston revelou-se seu descobridor e fez um relato completo e convincente do metal e de suas propriedades.

Leia também

Os quilates das joias de ouro

A química das joias de titânio: O caso dos piercings

Por que as joias de prata oxidam?

Sua alergia a certas joias é por causa do níquel

O elemento zircônio, fatos, descobertas e aplicações

O elemento ósmio, fatos, história e joias

Isótopos do paládio

Então, existem naturalmente sete isótopos de paládio; seis dos quais são estáveis: 102Pd, 104Pd, 105Pd, 106Pd, 108Pd e 110Pd. A principio, utiliza-se o Pd-104 para produzir de sementes radioativas Pd-103, um radioisótopo que combate o câncer de próstata.

Os Isótopos de paládio artificial

Em 1935, usando bombardeio de nêutrons lento, Amaldi e seus colaboradores identificou duas atividades de paládio com meia-vida de 15 minutos e 12 horas que mais tarde os pesquisadores Kraus e Cork conseguiram mostrar experimentalmente eram atividades pertenciam dos radioisótopos 111Pd e 109Pd além de outros meias-vidas de 3 minutos e 60 horas. Em 1940, Nishima e seus colaboradores obtiveram uma atividade não especificada com meia-vida de 26 minutos, de 111Pd, corrigida para meia vida de 23 minutos. A partir daí vários radioisótopos de Pd foram descobertos, e hoje tem-se 100Pd, 101Pd, 103Pd, 107Pd, 109Pd, 111Pd e 112Pd.

Aplicações do paládio

  • Utiliza-se a maior parte do paládio em conversores catalíticos para carros.
  • Usado em joalheria para fazer molas para relógios
  • Em algumas obturações e coroas dentais.
  • O ouro branco é uma liga de ouro que foi descolorida por meio da liga com outro metal, às vezes paládio.
  • É utilizado na indústria de eletrônicos em capacitores de cerâmica, encontrados em laptops e telefones celulares. Estes consistem em camadas de paládio imprensadas entre camadas de cerâmica.
  • Usado como catalisador em reações de hidrogenação e desidrogenação. O hidrogênio se difunde facilmente através do paládio aquecido e isso fornece uma maneira de separar e purificar o gás.

O paládio e as joias

O paládio foi usado pela primeira vez na joalheria em 1939, como liga de platina. Embora o paládio tenha sido usado na produção de joias por décadas, as alianças de casamento de paládio se tornaram particularmente populares nos últimos quinze anos. Na verdade, desde janeiro de 2010, o paládio foi oficialmente reconhecido como um metal precioso. Qualquer aliança de paládio com peso superior a um grama deve ser marcada por lei.

Anel de paládio
Anel de paládio. Fonte: Glamira
Anel de paládio
Anel de paládio. Fonte DonaDiva

Uma vantagem do anel feito de paládio é como ele é um metal puro e precioso não contém níquel. O níquel costuma ser o principal culpado pelas alergias a joias finas. Por outro lado, ele costumava ser muito mais barato que a platina, mas com o uso do paládio como joia o seu preço aumentou muito. Além disso, muitos joalheiros optam por não trabalhar com paládio por causa de sua fragilidade quando não manuseado adequadamente. Depois que a joia e produzida, o paládio que na verdade é um metal mais duro do que a platina, dificilmente pode ser arranhado.

Saiba mais sobre joias

 

 

Fonte:

Bride

Brittanica

Chemistry Explained

Lenntech

Reflective jewelry

Royal Society of Chemistry

Webelements

Wikipedia

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.