O cobalto e sua exploração nada sustentável

Minas de cobalto

Então, no nome cobalto lembra uma imagem de azuis profundos e vívidos, mas quando nós o extraímos do solo na forma de minério a cor não lembra em nada o azul cobalto. Em princípio mais da metade do cobalto vem da  República Democrática do Congo. Assim, no quando extraído do solo, o cobalto assume uma forma de um mineral opaco acastanhado. Bom, lá na mina o cobalto é facilmente confundido com pequenos torrões de terra.

Algumas aplicações do cobalto

Antes continuar falando do cobalto e sua exploração nada sustentável que mostrar para você a importância do cobalto na tecnologia. No post  “A oferta de cobalto pode atender a demanda?”  você ao acessar vai descobrir que o aumento da frota de carro elétricos depende deste elemento. Acesse e veja lá a sua importância. 

Por outro lado, no post “O cobalto e a saúde” você vai entender que nós seres humanos temos uma grande dependência dos íons Co3+; ou seja, a vitamina B12 contém em sua estrutura esse íon.  Essa vitamina participa de alguns processos bioquímicos importantes, como a síntese de aminoácidos e ácidos nucleicos, além da formação de eritrócitos (hemácias ou glóbulos vermelhos do sangue).

Então, um relatório produzido pela McKinsey & Company prevê que a demanda global por cobalto aumentará 60% acima dos níveis de 2017 até 2025, com baterias projetadas para compor mais da metade desse uso. Além disso, ele tem outras aplicações, por exemplo:

  • Medicina de imagens,
  • Radioterapia do câncer
  • Esterilização de equipamentos médicos
  • Baterias recarregáveis de smartphones, laptops e veículos elétricos.  

A exploração nada sustentável do cobalto

Então, por que as pessoas morrem por causa do cobalto? Em primeiro lugar você tem que saber que a maior parte do cobalto vem da República Democrática do Congo (RDC). Então, cerca de 60% do suprimento mundial de cobalto vem da RDC. Com muita tristeza, digo a você que quase três quartos da população do RDC vivem em extrema pobreza.  Além disso, cerca de um quinto do cobalto extraído na RDC vem de minas artesanais de pequena escala. 

Sem saber dos perigos da exploração do cobalto a população da RDC brincam na mão com o minério. Veja as figuras desse post só para ter uma ideia.

Minas de cobalto
Exploração do cobalto. Fonte: DW

Onde está os problemas com cobalto. Então, as pessoas, incluindo crianças de até sete anos de idade, trabalham em condições perigosas sem luvas para protegê-las. Dessa forma, elas têm dermatites de contato, respiram a poeira cheia de cobalto que causam doenças pulmonárias. Então, a maior parte da extração de cobalto na RDC ocorre em grandes mineradoras Bom, praticamente quase não há informações sobre os impactos da exploração de cobalto nas grandes minas da RDC.

A princípio, os problemas de contaminação que você viu na RDC também existe na Austrália. Em primeiro lugar, a mineração de cobalto na Austrália é muito diferente. Então, o cobalto é obtido como um subproduto da extração de cobre e níquel. Embora, a mineração na Austrália seja altamente regulamentada, pesquisadores descobriram que esse método de extração de cobalto tem um alto impacto ambiental. Dessa forma, na Austrália também a produção de cobalto tem emissões de grandes quantidades de gases.

Reciclar ou substituir

Então, as questões sociais e ambientais associadas à mineração de cobalto são amplamente desconhecidas há algum tempo. Dessa forma, a crescente demanda por cobalto para sustentar a transição energética chamou a atenção internacional. É por isso que agora há um novo foco das empresas de tecnologia e consumidores.

Em princípio, algumas das maiores empresas de tecnologia do mundo são encorajadas a fazer a devida providência sobre o uso do cobalto.  Dessa forma, essas empresas incluíram em seus produtos uma certificação capaz de rastrear de onde  cobalto vem. Portanto, espera-se que haja uma garantia de responsabilidade ambiental.

Outra via que está sendo explorada para reduzir os impactos adversos da extração de cobalto é a reciclagem aprimorada. Assim espera-se que nós poderíamos reduzir a necessidade de mineração em primeiro lugar. Desse forma, em fevereiro de 2019, o Departamento de Energia dos EUA investiu em uma planta piloto chamada ReCell Center. Essa planta piloto vai explorar maneiras econômicas de recuperar lítio e cobalto das baterias de íon de lítio.

Quase ao mesmo tempo, lançou-se um prêmio de US$ 5,5 milhões para soluções de coleta, armazenamento e transporte de baterias de íon de lítio descartadas. Enquanto isso, o Reino Unido tem sua própria iniciativa de reciclagem de baterias, chamada Reutilização e Reciclagem de Baterias de Íons de Lítio, ou R e LiB, focada na recuperação de materiais valiosos como o cobalto dessas baterias.

Uma empresa japonesa, Sumitomo Metal Mining Co., Ltd., anunciou recentemente que desenvolveu um método para derreter baterias gastas de veículos elétricos e recuperar o cobalto. No entanto, a empresa reconhece que levará algum tempo até que grandes quantidades de baterias usadas estejam disponíveis para reciclagem.

Fonte:

Ensia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.