Porque não temos uma sustentabilidade total

Química verde

Então, considera-se a Química Verde aquela química totalmente sustentável. Aí vem a pergunta, o que é sustentável? Sustentável  é você ter uma cadeia de produção industrial/agrícola que não prejudique o meio ambienta.

Aí que mora o perigo. Porque o uso do meio ambiente sem prejudicá-lo é quase impossível. Afirmo isso para você, baseado no fato de que a história humana é acompanhada de degradações. Ou seja, a evolução tecnológica em todos os níveis ocorreu com uma degradação.

Agora, como podemos reduzir os efeitos da degradação do ambiente? Uma das formas é com a economia circular. Mas, o que é uma economia circular? Ela é uma economia baseada na extensão do ciclo de vida de um produto. 

Para você entender melhor, te convido a descobrir no post “Benefícios da Química na Economia Circular” que você irá constatar que a Economia Circular associa o desenvolvimento econômico e melhor uso dos recursos naturais. Vá lá para você descobrir melhor. 

A Química Verde na sustentabilidade

Bom, o conceito de Química Verde existe desde o início dos anos 90, quando Paul Anastas, PhD, então químico da EPA, colocou o nome Química Verde. Dessa forma, Anastas considerava como objetivo geral da química verde  “o design de produtos e processos químicos que reduziam ou eliminavam o uso e a geração de substâncias perigosas”.

Assim, nasceu posteriormente os 12 princípios da química verde. Bom no post “Os 12 princípios da Química Verde” nos apresentamos para você os princípios da Química Verde. Aqui iremos apresentar apenas seis princípios para você ter uma ideia. Mas, vá lá no post e descubra o restante. Então, ai vão os seis princípios:

  • Prevenção. É melhor prevenir o desperdício do que tratar ou limpar o resíduo depois
  • Síntese química menos perigosa. Sempre que possível, introduzir metodologias sintéticas que usem e geram substâncias com pouca ou nenhuma toxicidade à saúde humana e meio ambiente.
  • Projetando produtos químicos mais seguros. Os produtos químicos devem ser projetados para preservar a eficácia da função e reduzir a toxicidade.
  • Solventes e auxiliares mais seguros. O uso de substâncias auxiliares (solventes, agentes de separação, etc.) deve ser desnecessário sempre que possível e, quando usado, inócuo.
  • Projeto para eficiência energética. Os requisitos de energia devem ser reconhecidos por seus impactos ambientais e econômicos e devem ser minimizados. Os métodos sintéticos devem ser conduzidos à temperatura e pressão ambiente.
  • Uso de matérias-primas renováveis. Uma matéria-prima ou matéria-prima deve ser renovável, em vez de esgotar-se sempre que técnica e economicamente prática.

Porque não temos a sustentabilidade total

Bom, apesar de ser interessante e que ninguém se tenha nada contra a Química Verde, sua integração nos setores de manufatura e produção química está ocorrendo lentamente. A princípio, a lentidão para implantar a Química Verde tem vários motivos e começa com a falta de definições e estratégias.

Por outro lado, não podemos esquecer dos obstáculos econômicos. Ou seja, a introdução da Química Verde relaciona-se diretamente com a aplicação de muito recursos financeiros. Em princípio, os processos convencionais são muitos mais baratos para que sejam mudados para uma química verde e sustentável.

Além disso, uma mudança na produção de produtos depende do mercado consumidor. A princípio, esse mercado tem que aceitar os produtos da Química Verde.

Como modificar essa situação?

Em princípio, a adoção da sustentabilidade total é uma necessidade a humanidade. Porque estamos afirmando isso. Nos posts que relacionamos abaixo mostramos que nossa humanidade sofre com os efeitos da poluição. Ao acessar os posts você descobrirá o quanto nós temos prejudicado o meio ambiente. Aceite o convite e chegue tire suas conclusões:

Além desses efeitos diretos na nossa atmosfera, temos também os efeitos dos resíduos sólidos. Aqui, colocamos que um dos principais problemas é a questão dos plásticos. Hoje, em quase todos os lugares do meio ambiente você encontra plásticos. 

Ou seja, os microplásticos tomaram conta do mundo. Vamos colocar para você aqui alguns posts para que você entenda a dimensão desse problema para a humanidade. Convidamos você a acessar os posts, queremos que você entre no movimento de descobrir formas da gente melhorar essa situação. Então, ai vão os posts:

Quais são as possíveis soluções?

 O que é bom que no mundo existem pessoas trabalhando para melhorar. Porque eu te digo isso. Vamos apresentar posts que apresentam soluções para a questão da poluição. Em princípio, tem gente olhando o resíduo com um negócio e tem outras que querem melhorar o mundo. Então, vamos lá com alguns posts para você descobrir como são essas soluções. Aí vão elas para você.

Espero que você chegue a mesma conclusão que eu cheguei. Qual é essa conclusão? Bom, na minha opinião para nós melhoramos o ambiente e ter sustentabilidade precisamos de todo mundo. Ou seja, nós seres humanos precisamos nos unir para produzir soluções. Acredito que não exista a solução. O que existem são soluções como as apresentadas abaixo. Quero te dizer que cada um de nós temos que trabalhar juntos.  Então, vamos trabalhar juntos todos nós?

Fonte

EHS Daily Advisor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.