Nova forma de isomerismo descoberta em 50 anos

Depois de 170 anos que Louis Pasteur descobriu a quiralidade ao separar os cristais de ácido tartárico esquerdos e destros sob o microscópio, uma forma inteiramente nova de estereoisomerismo foi encontrada nos complexos de porfirina-boro. Esses isômeros, baseados na inversão de ângulo de ligação impedida, poderiam produzir drogas não convencionais ou encontrar uso em computadores moleculares. Os anos 60 foram mais uma década de isomerismo: em 1961, os químicos perceberam que podiam produzir moléculas com centros quirais de fósforo. A quiralidade centrada em nitrogênio ocorreu em 1969. Geralmente, os compostos de nitrogênio sofrem inversão piramidal, semelhante a um guarda-chuva virando de dentro para fora. Este processo é extremamente rápido, o que torna impossível separar os enantiômeros. Ao confinar o nitrogênio dentro de um heterociclo de três membros, os químicos conseguiram formar os primeiros enantiômeros da aziridina isoláveis.

Fonte: Chemistry Word

Leia também

A quiralidade vem do espaço