O que podemos aprender com a história das vitaminas

Frutas

Em primeiro lugar devemos entender como nossa saúde depende de vitaminas. Nos posts “Deficiência de vitamina C e escorbutoVitamina C e a era do descobrimento” mostramos que a vitamina C teve na história da evolução humana papel importante. Nos dois posts fica claro que as viagens longas eram impedidas devido ao escorbuto. Então, somente depois que a marinha britânica impôs que os marinheiros o consumo limão e outras frutas, as viagens longas tornaram-se possíveis. Portanto, os britânicos aprenderam que sem vitaminas não era possível conquistar o mundo.

Bom, não é só consumir vitaminas que nos mantém vivos. Ao estudar como nós e outras espécies produzimos vitaminas, os cientistas esperam encontrar novas formas de nos manter saudáveis. Por outro lado, eles também podem descobrir como usar as vitaminas podem ser uma arma contra nossos inimigos. Por exemplo, doenças que nos matam desde o início da humanidade.

Existem duas maneiras de obtemos essas vitaminas em nosso organismo: produzindo-as; ou comendo-as. De antemão, acredita-se que nossos ancestrais produziam muitas de suas vitaminas. À primeira vista, podemos pensar que há cerca de 60 milhões de anos nossos ancestrais perderam essa capacidade de produzir suas próprias vitaminas.

Um pouco de história das vitaminas

Tudo nos leva a crer que nossos ancestrais não precisavam produzir, por exemplo, vitamina C; uma vez que, comiam frutas regularmente. Mais recentemente, nossos ancestrais caçadores coletores começaram a obter da caça outras vitaminas. Por outro lado, o surgimento da agricultura fez com que as pessoas começaram a comer mais amidos pobres em vitaminas, por exemplo, trigo e milho. Então, com essa mudança da nossa dieta os riscos de contrair doenças relacionadas a falta de vitaminas aumentou.

As galinhas e a vitaminas

Galinha

O beribéri deixou os cientistas perplexos por décadas. Na década de 1880, um cientista chamado Christiaan Eijkman descobriu que as galinhas podiam desenvolver uma doença semelhante ao beribéri. Então, ele começou a estudá-las para encontrar a causa da doença. Durante anos, ele achava que a culpa era de algum tipo de bactéria. Mas então ele descobriu que um bando de galinhas doentes se recuperou. Isso ocorreu, depois que elas deixaram de consumir sobras de arroz do hospital militar. Assim explicou Eijkman ao receber o prêmio Nobel em 1929

Em 1905, um inglês chamado William Fletcher se tornou o primeiro cientista a entender  como a falta de vitaminas levava a doenças. Em seguida, o bioquímico inglês Sir Frederick Gowland Hopkins  descobriu em 1906 que certos fatores alimentares (por exemplo, proteínas; carboidratos; gorduras e minerais) influenciavam no tamnho das pessoas.  Por outro lado, o cientista polonês Cashmir Funk chamou em 1912 as partes nutricionais especiais dos alimentos de “vitamina”. Antes de tudo, ele escolheu esse nome em homenagem a “vita”, que significava vida, e “amina” dos compostos encontrados na tiamina que ele isolou da casca de arroz.  Além disso,  Hopkins e Funk formularam a hipótese de que a falta de vitaminas pode causar doenças.

Ao longo do século XX, os cientistas foram capazes, sobretudo, de isolar e identificar as várias vitaminas encontradas em alimentos. Então, a seguir colocamos uma timeline das vitaminas mais populares.

VitaminaCientistaAno
Vitamina AElmer V. McCollum e Marguerite Davis.1912 a 1914
Vitamina B (biotina)Elmer V. McCollum1915-1916.
Vitamina B1 (tiamina)Casimir Funk1912
Vitamina B2 (riboflavina)DT Smith, EG Hendrick1926
Vitamina B12 (cobalamina)Dorothy Hodgkin1936
NiacinaConrad Elvehjem1937
Ácido fólicoLucy Wills1933
Vitamina B6Paul Gyorgy1934
Vitamina CJames Lind1747
Vitamina DEdward Mellanby1922
Vitamina EHerbert Evans e Katherine Bishop1922

O Grande negócio das vitaminas

Então,  as vitaminas se tornaram um grande negócio no século XX. Somente nos Estados Unidos, os suplementos vitamínicos venderam cerca de 12,0 bilhões de dólares. A história do uso de suplementos vitamínicos começou com o presidente Franklin D. Roosevelt. Ele na década de 1940 decide que os americanos precisam de uma ajuda para melhorar suas dietas. Então, Roosevelt pede que o governo dos EUA se concentre em uma nutrição melhor. Dessa foram, foram realizadas muitas pesquisas direcionadas às vitaminas. Como resultado, ocorreu um aumento no valor nutricional de certos alimentos como pão e leite.

A partir daí, os suplementos multivitamínicos e minerais chegaram ao mercado em massa. Essa facilidade aumentou consideravelmente o consumo de vitaminas artificiais para os americanos. Apesar de existir uma necessidade de fazer uma dieta, a população prefere o uso exagero de vitaminas a fazer um dieta balanceada. 

Apesar da polêmica, os suplementos vitamínicos podem melhorar muito a saúde das populações de países com sérias deficiências de vitaminas. Infelizmente, bilhões de pessoas dependem de alimentos básicos pobres em vitaminas, por exemplo arroz e mandioca, para sobreviver. Enquanto isso, a deficiência de vitamina A, por exemplo, priva o olho de muitos habitantes dos países pobres. Só para se ter um ideia, estima-se já existem cerca de 500.000 casos de cegueira em crianças em todo o mundo. Além disso, a falta de vitaminas causa perda de imunidade o que enfraquece nossas defesas contra infecções. Dessa forma, ocorrem anualmente aproximadamente  700.000 mortes por deficiência de vitaminas.

Fonte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *