Uma tecnologia no ensino de isomeria

Me lembro muito bem quando era estudante dos meus professores usarem os modelos atômico feitos de metais e recentemente de plástico. Durante as aulas de Química Orgânica nós íamos construindo as moléculas para aprender os arranjos espaciais. A partir da íamos entendo a isomeria, as diferenças entre as moléculas. Os isômeros cis e trans entre os outros arranjos espaciais ficavam mais fácil de compreender.

Leia também

A isomeria e os remédios

O parasitário Nitazoxanida contra o Covid que arma é essa?

A importância da estereoquímica nos remédios

A isomeria e os remédios

Cloroquina é igual hidroxicloroquina?

No caso daqueles alunos que não conseguiam visualizar os arranjos espaciais o uso de modelos atômicos eram essenciais para o entendimento da isomeria das moléculas. 

Um dos problemas desses modelos atômicos era acessibilidade dos alunos ou mesmo das escolas, principalmente as públicas. Por se tratar de um modelo estático não é possível mostrar para o alunos que as ligações podem se mover de um lado para outro além de mudar de ângulo.

Nesse sentido, simulações feitas no computador ajudam bastante o aluno entender como é o comportamento das ligações e das moléculas nas mais diversas situações. A  Universidade do Colorado mantém um site o PhET-interactive simulations no qual recomendo para professores melhorarem o seu modo de ensinar a isomeria entre outras aplicações. 

Abaixo apresentamos uma dessas simulações chamada Geometria Molecular. Recomendamos essa ferramenta para o que o aluno aprenda e experimentando o comportamento da molécula.