O que é combustível gasolina

carro scaled

A gasolina é um combustível constituído basicamente por hidrocarbonetos (compostos químicos constituídos apenas por átomos de carbono e hidrogênio) e, em menor quantidade, por produtos oxigenados. Além dos hidrocarbonetos e dos oxigenados, a gasolina também pode conter compostos de enxofre e compostos contendo nitrogênio. A intervalo de destilação da gasolina automotiva varia de 40 a 175 °C.

Existem dois tipos de gasolina:

  1. Automotiva: é o combustível mais familiar ao público brasileiro. É utilizada em veículos leves para uso particular e para transporte de passageiros e de cargas.
  2. Aviação: a aviação utiliza dois tipos de combustíveis: querosene e gasolina. No caso da gasolina, denominada pela sigla AVGAS, é um combustível que conta com hidrocarbonetos com uma cadeia de 5 a 8 carbonos. Esse tipo de combustível geralmente é utilizado para aviões de pequeno porte, que têm motores com ignição por centelha. A gasolina de aviação é clara e totalmente isenta de água, mas, atenção: por conter chumbo tetraetila na sua composição, em hipótese alguma você poderá utilizar o combustível de aviação em um veículo automotivo.

Leia sobre os hidrocarbonetos

Quem são os hidrocarbonetos: Butano Propano

Hidrocarbonetos de ocorrência natural e seus derivados

Nossos hidrocarbonetos do dia a dia

O octano e octanagem da gasolina

O que é gás de cozinha e seu como refrigerante

Composição química

A gasolina básica (sem oxigenados) possui uma composição complexa. A sua formulação pode exigir a utilização de diversas correntes nobres oriundas do processamento do petróleo. Quanto maior a octanagem (número de moléculas com octanos) da gasolina maior será a sua resistência à detonação espontânea.

Constituintes

Processo de Obtenção

Butano

destilação e processos de transformação

Isopentano

destilação, processos de transformação, isomerização

Alcoilada

alcoilação

Nafta leve de destilação

destilação

Nafta pesada de destilação

destilação

Hidrocraqueada

hidrocraqueamento

Craqueada cataliticamente

craqueamento catalítico

Polímera

polimerização de olefinas

Craqueada termicamente

coqueamento retardo

Reformada

reforma catalítica

Para melhorar o desempenho da gasolina é comum adicionar aditivos como:

  • Inibidor de corrosão: agente que protege as zonas de circulação de combustível de forma a reduzir a corrosão provocada;
  • Detergente: reduz os depósitos no sistema de injeção e no motor de forma a melhorar a combustão;
  • Agente veículo (solvente sintético): é muito estável a altas temperaturas, por isso provoca resíduos minúsculos durante a combustão que se realiza na câmara de combustão do motor;
  • Desmulsificante: esse aditivo promove a separação da água no sistema de distribuição e armazenagem do combustível, de forma a diminuir a corrosão daí resultante.

Saiba mais

 

Hoje, no Brasil, existem três tipos de gasolina:

  1. Gasolina comum: é a gasolina tecnicamente identificada como “tipo C”, que leva adição de 27% de etanol anidro (sem água). Essa gasolina é obtida a partir do combustível do “tipo A”, que não tem nenhuma adição de etanol e não é vendida em postos. A gasolina comum, do tipo C, não recebe nenhum aditivo além do etanol, e por isso tem coloração amarelada. A gasolina comum tem octanagem mínima de 87 IAD.
  2. Gasolina aditivada: além da adição de etanol, que é obrigatória, essa gasolina recebe também detergentes e dispersantes em sua composição. Teoricamente, esses componentes têm a função de limpar o interior do motor, como formações de carvão em válvulas e câmaras de combustão, por exemplo. Esse tipo de combustível tem também algum corante, para diferenciá-lo da gasolina comum. Geralmente, ela tem a mesma octanagem da comum, mas pode haver alguma diferença, dependendo da distribuidora.
  3. Premium (gasolina Podium, da Petrobras, Shell V-Power Racing ou Ipiranga Octapro, por exemplo): Sua principal característica principal é ter maior octanagem. Ela é indicada para motores mais avançados tecnicamente. Ao contrário do que algumas propagandas procuram insinuar, as gasolinas “premium” não aumentam a potência do motor nem melhoram o desempenho do automóvel. Mas extraem o melhor do propulsor.

Entre as principais substâncias utilizadas como aditivos para a gasolina, podem ser citadas:

Estrutura química tetraetilchumbo
Estrutura química tetraetilchumbo

Tetra-etil-chumbo: Essa substância orgânica é formada por quatro grupos etil e pelo metal chumbo. Entretanto, quando a gasolina com esse aditivo é queimada, libera grande quantidade do metal pesado chumbo na atmosfera, poluindo o ar e, consequentemente, o solo e a água. Em decorrência de toda a poluição provocada por esse aditivo, sua utilização foi vetada em diversos países, porém, como seu preço é muito atrativo, ainda é bastante utilizado na produção de gasolina aditivada.

Terc-butil-metil-éter (MTBE)
Estrutura química Terc-butil-metil-éter (MTBE)

Terc-butil-metil-éter (MTBE): Por não liberar chumbo, esse é o aditivo mais utilizado atualmente no lugar do tetraetil-chumbo. Outra característica deste aditivo é que ele libera uma quantidade menor de monóxido de carbono (CO). A presença do átomo de oxigênio em suas moléculas de melhora deixa a combustão mais completa, ou seja, forma dióxido de carbono (CO2) em vez de CO. A liberação de CO2, no entanto, contribui para o aumento da quantidade de gases do aquecimento global.

Fonte:

Wikipedia

Brasil Escola

Autopapo

Jornal Estadão

Brasil Escola

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *